Sacerdote assinala que seleção nacional tem «excelentes jogadores e um técnico capaz» de a conduzir até à conquista final

Foto: Lusa/EPA

Lisboa, 23 jun 2021 (Ecclesia) – O padre Carlos Alberto Pereira de Sousa, antigo capelão na Academia do Sporting, onde acompanhou os jovens futebolistas em formação e se cruzou com Fernando Santos, espera hoje uma vitória da seleção portuguesa, apontando à conquista do Euro 2020.

“Nós vamos passar e vamos ganhar, vamos ser campeões outra vez. Temos excelentes jogadores e um técnico, o Fernando Santos, por quem tenho um carinho muito grande também, que é um homem de fé, e é capaz de conduzir as coisas para esse fim”, disse o sacerdote à Agência ECCLESIA.

O membro do Instituto Secular dos Padres de Schoenstatt, acompanha os jogos da Seleção Portuguesa de Futebol no Euro 2020, “sempre que pode”, e esta quarta-feira espera ver a partida contra a seleção francesa.

“Até fico sem voz”, revela, recordando o jogo do último sábado contra a Alemanha: “No outro dia a voz não saia muito bem, fico nervoso”.

“Só fico assim quando são jogos da seleção e do Sporting, curiosamente”, acrescentou o padre Carlos Alberto Pereira de Sousa.

O sacerdote recorda que já era capelão no Sporting Clube de Portugal quando Fernando Santos foi treinar o clube (2003/2004) e diz que teve “conversas muito lindas” com o treinador sobre a fé.

Encontrei gente de muita fé e que não era supersticiosa. Foi uma experiência diferente, nunca na minha vida esperei, não sabia como ia ser acolhido. Tive contacto com vário tipo de pessoas e acabamos por ser amigos, havia bom diálogo, acolhiam muito bem e contactos que ficaram”.

O padre Carlos Alberto de Sousa conta que quando foi para o Sporting, em 1999, foi-lhe pedido pelo então presidente José Roquette “o acompanhamento espiritual” dos jovens, “essencialmente daqueles que estavam na formação”.

“Cheguei no ano em que fomos campeões”, contextualiza, e desempenhou estas funções de 1999 a 2003, altura em que ia a Alcochete “todas as semanas”, e depois até 2011, nessa altura apenas uma vez por mês, porque vivia na Diocese de Aveiro.

“Nesses momentos conversava com os rapazes, alguns vinham conversar questões mais pessoais, que precisavam de desabafar, conversar, se estavam a passar por alguma dificuldade. E a formação religiosa para aqueles que queriam receber os sacramentos”, explicou.

O guarda-redes Rui Patrício, por exemplo, foi um dos jogadores que o padre Carlos Alberto de Sousa preparou para o sacramento do Crisma.

Na cerimónia de inauguração da Academia do Sporting, em Alcochete, o sacerdote preparou a bênção e recorda que usou uma passagem escrita por São Paulo: “Percorri a minha carreira, guardei a minha fé”,

“Encontramos na Sagrada Escritura elementos onde se tocam temas que podemos associar ao desporto”, salienta.

O padre Carlos Alberto Pereira de Sousa, que regressou a Portugal em julho de 2020, depois de três anos no Brasil, está a celebrar 25 anos de ordenação presbiteral.

A Missa festiva é este domingo, às 18h00, no Santuário de Schoenstatt, na Gafanha da Nazaré, Diocese de Aveiro.

CB/OC

Partilhar:
Share