Iniciativa propõe assistência às vítimas e pessoas em risco

Cidade do Vaticano, 22 jul 2021 (Ecclesia) – A rede ‘Talitha Kum’, que inclui mais de três mil religiosas católicas e leigas, lançou a campanha ‘#CareAgainstTrafficking’ para assinalar o Dia Mundial contra o Tráfico de Pessoas, celebrado a 30 de julho.

O organismo internacional de Institutos de Vida Consagrada indica que a campanha “Cuidado contra o tráfico” que chamar a atenção para a necessidade de intervir em todas as fases, prestando assistência às pessoas em risco, às vítimas e às sobreviventes.

Segundo a rede, esta abordagem exige um compromisso de várias instituições e a participação da sociedade, para “enfrentar as causas sistémicas do tráfico”.

Educação, oportunidades de trabalho, assistência médica e justiça são as prioridades apontadas pela campanha, divulgada pelo portal ‘Vatican News’.

As religiosas denunciam situações de falsas propostas de emprego ou escolares, que levam crianças, jovens e mulheres a cair em redes de prostituição ou escravatura doméstica.

A irmã Gabriella Bottani, coordenadora internacional da ‘Talitha Kum’, sublinha que o Papa tem medido uma mudança da “economia do tráfico em economia do cuidado”.

“Apoiamos sobreviventes, mesmo dentro da realidade da crise da pandemia, oferecendo-lhes ajuda material concreta, como pagar o aluguer ou comida. Cuidar significa promover uma educação de qualidade, para ser competitivo no mercado de trabalho”, assinala a religiosa.

OC

Partilhar:
Share