Responsável do Secretariado Nacional para o setor sublinha «alertas» deixados pelo Papa Francisco

Lisboa, 01 jun 2019 (Ecclesia) – A Igreja Católica celebra este domingo o Dia Mundial das Comunicações Sociais (DMCS), com atenções sobre a dependência das redes sociais e o cyberbullying, com o objetivo de “circunscrever o fenómeno” que afeta, sobretudo, as novas gerações.

“As estatísticas relativas aos mais jovens revelam que um em cada quatro adolescentes está envolvido em episódios de cyberbullying”, adverte Francisco, na sua mensagem para 53.º DMCS, com o tema ‘Das comunidades de redes sociais à comunidade humana’.

O Papa sublinha que, apesar do potencial das tecnologias da comunicação na aproximação de pessoas, estas redes “prestam-se também a um uso manipulador dos dados pessoais, visando obter vantagens no plano político ou económico, sem o devido respeito pela pessoa e seus direitos”.

Na sua mensagem para o DMCS 2019, o pontífice propõe a redescoberta do sentido de comunidade como forma de superar os desafios levantados pelo recurso crescente às redes sociais e internet.

Francisco defende a necessidade de reencontrar a “verdadeira identidade comunitária”, na consciência da responsabilidade todos têm, uns para com os outros.

Já na última assembleia do Sínodo dos Bispos, em outubro de 2018, que o Papa dedicou às novas gerações, tinha lançado um alerta sobre o “lado obscuro da rede”, com novas formas de violência, como o cyberbullying.

O Papa assinala agora que a internet se tem mostrado “um dos locais mais expostos à desinformação e à distorção” de factos e relações interpessoais.

A nova diretora do Secretariado Nacional das Comunicações Sociais (SNCS), organismo da Igreja Católica em Portugal, assume em declarações à Agência ECCLESIA o “enorme desafio” de passar de uma sociedade conectada para uma verdadeira comunidade, superando o mero “deslumbramento” perante a tecnologia.

A “permanente ligação” também tem dimensões menos positiva, em particular na vida dos mais novos, adverte Isabel Figueiredo.

“As redes só existem porque nós as alimentamos”, muitas vezes desde que se acorda até que se adormece, assinala.

A diretora do SNCS assume que questões como o cyberbullying são temas para debater “com os jovens e para os jovens” rumo à Jornada Mundial da Juventude que Lisboa vai acolher em 2022, promovendo uma “escuta prévia”.

“A comunicação é abrir as janelas, abrir as portas”, indica.

Segundo esta responsável, a mensagem do Papa “aponta à essência das coisas” e deixa um “sinal de alerta”.

“O tipo de comentários que surgem à volta de um post mostram como é possível essa situação de perseguição, que se geram com as redes”, exemplifica.

O padre Rafael Vieira, assessor de imprensa da Conferência Nacional de Bispos do Brasil (CNBB), refere à Agência ECCLESIA que quase 150 milhões de brasileiros faziam uso do aplicativo WhatsApp, em 2018, uma situação que já se “generalizou” na Igreja Católica, com “resultados práticos bastante interessantes”.

“Há várias experiências que comprovam que o aplicativo é usado de forma muito eficiente na comunicação interna”, observa.

O sacerdote identifica um movimento “muito consolidado” da Pastoral da Comunicação, a qual incentiva a formação de grupos, no WhatsApp, para “acelerar a distribuição da informação” entre os agentes de pastoral.

Quanto às prioridades para o trabalho da Igreja Católica no campo dos media, a diretora do SNCS sustenta que é necessário “fazer um caminho de encontro e um caminho de conhecimento”, porque “a comunicação é feita no país todo”.

“No futuro, pretendemos que a comunicação feita em Igreja seja cada vez mais coerente, capaz de nos ajudar a todos”, adianta.

Isabel Figueiredo considera necessário um olhar “realista” sobre o corre menos bem na Igreja Católica, dando também espaço para “anunciar o bem”.

“A sociedade precisa da Comunicação Social”, conclui, em declarações que pode ser ouvida este domingo no programa ECCLESIA, na Antena 1 da rádio pública (06h00).

Os donativos das comunidades católicas recolhidos nas Missas dominicais revertem em favor dos projetos do Secretariado Nacional das Comunicações e dos vários Secretariados Diocesanos do setor, em Portugal.

LS/PR/OC

 

Mensagem do Papa Francisco para o 53.º Dia Mundial das Comunicações Sociais

Partilhar:
Share