Existe a necessidade de se encontrar “respostas solidárias que evitem o isolamento dos países”

Lisboa, 08 Mai 2020 (ECCLESIA) – Os responsáveis da Companhia de Jesus (Jesuítas) enviaram, esta sexta-feira, uma mensagem às instituições da União Europeia (UE) pedindo-lhes que promovam uma “verdadeira solidariedade ética e social” na sequência do surto do coronavírus.

O padre José Frazão Correia (provincial dos Jesuítas em Portugal e um dos subscritores da declaração) – explica que esta tomada de posição nasce da “consciência” que se tem “das graves consequências sociais e humanas da presente pandemia a nível europeu e mundial” e da necessidade de se encontrar “respostas solidárias que evitem o isolamento dos países, o crescimento de visões individualistas e a desatenção aos mais vulneráveis, entre eles os migrantes e refugiados”, refere uma nota enviada à Agência ECCLESIA.

O jesuíta português explica também que o texto da declaração resulta dos contatos regulares entre os provinciais dos jesuítas europeus, coordenados pelo presidente da Conferência Europeia de Provinciais, o padre belga Franck Janin, tendo “sido trabalhado na última semana por todos os subscritores”.

A declaração dos jesuítas salienta que a pandemia do coronavírus “fortaleceu a consciência de todos os povos da Europa de que estão profundamente interligados” e paradoxalmente, “é na altura em que as igrejas estão vazias que as pessoas redescobrem a mensagem cristã da solidariedade”.

Esta “crescente consciência” deve servir de “motor de mudança” à medida que as pessoas fortalecem o seu compromisso de servir o bem comum, lê-se no documento.

No documento, os jesuítas apelam também a um repensar do atual modelo de globalização porque “não se pode viver de forma saudável num planeta doente”, apontam, aludindo ao ensino do Papa Francisco sobre “ecologia integral”.

A mensagem termina com a esperança de que a crise possa ser uma “oportunidade espiritual de conversão”, uma oportunidade que deve ser aproveitada para “provocar uma mudança radical, para melhor”.

O apelo, que surge no 75º aniversário do fim da Segunda Guerra Mundial e 70 anos após a declaração de Schuman, pede à UE que trabalhe arduamente para superar “a ameaça existencial que representa a atual falta de apetência pela solidariedade internacional”.

A Conferência Jesuíta dos provinciais europeus é composta por 20 unidades chamadas «Províncias» ou «Regiões» que se estendem pelos países da União Europeia, mas mais amplamente por todo o continente europeu e também pelo Próximo Oriente.

LFS

Partilhar:
Share