D. António Moiteiro citou dados de recenseamento à prática dominical e impacto da pandemia

Foto: Diocese de Aveiro

Aveiro, 11 jun 2021 (Ecclesia) – O bispo de Aveiro afirmou hoje que a diocese tem de dedicar maior atenção a quem se afastou da Igreja citando os dados de um recenseamento à prática dominical e o recente impacto da pandemia.

“Os dados do recenseamento requerem da nossa parte um modelo de pastoral mais centrado na missão, mais atento aos afastados, exigindo de todos uma conversão pastoral, como caminho de renovação da Igreja”, declarou D. António Moiteiro, na homilia da solenidade do Coração de Jesus.

A Missa foi concelebrada pelos padres da diocese, esta manhã na Sé de Aveiro, num dia dedicado à oração pela santificação dos sacerdotes.

O bispo diocesano falava de um estudo sobre a participação dos católicos nas celebrações dominicais da Missa, realizado em março de 2019, o qual revelou que uma quebra de 44% em 18 anos.

D. António Moiteiro sublinhou ainda que a pandemia que tem afetado a vida das comunidades cristãs, com o encerramento das igrejas “nos momentos mais críticos” e maior necessidade de respostas solidárias.

O responsável anunciou que, acolhendo o convite do Papa para preparar o Sínodo de 2023, sobre o tema “Por uma Igreja Sinodal: comunhão, participação e missão”, vai decorrer a 17 de outubro uma assembleia diocesana de abertura do Ano Pastoral.

“O individualismo afeta a corresponsabilidade pastoral nos seus variados níveis e é um obstáculo para a conversão à sinodalidade. Urge unificar todos os aspetos do nosso sacerdócio em torno da caridade pastoral, que é o caminho para a perfeição sacerdotal: serviço que nos santifica e santifica aqueles a quem servimos”, apelou.

Após a celebração, decorreu a Assembleia de Presbíteros no Seminário de Aveiro, para apresentação das linhas orientadoras do plano pastoral 2021-22.

OC

Partilhar:
Share