D. Manuel Quintas publicou nomeações para 2022-2023

Faro, 29 jul 2022 (Ecclesia) – A Diocese do Algarve vai implementar uma “nova organização da pastoral paroquial em chave missionária”, no ano pastoral 2022/2023, substituindo a estrutura atual das quatro vigararias que existe desde 27 de maio de 2007.

“A proposta incide numa nova organização territorial/paroquial da Diocese, não pelo território em si mesmo, mas tendo presente a nova realidade das comunidades cristãs, as suas proximidades eclesiais, sociológicas e territoriais, a promoção de um dinamismo a partir dos leigos dessas comunidades e numa nova perspetiva do exercício do ministério ordenado, particularmente o presbiteral”, explica o documento de trabalho que foi apresentado aos padres, diáconos, consagradas e membros do Conselho de Pastoral da Diocese do Algarve, esta quinta-feira, informa o jornal “Folha do Domingo”.

O projeto de reorganização da estrutura pastoral territorial da diocese sugere que passe a estar organizada em “três grandes Regiões Pastorais” – Região Pastoral do Barlavento, Região Pastoral do Centro e Região Pastoral do Sotavento -, que vai substituir a estrutura atual das quatro vigararias (conjunto de paróquias) – Faro, Loulé, Portimão e Tavira.

Para a Região Pastoral do Barlavento vão existir três Centros Evangelizadores – Lagos, Portimão e Silves, na Região Pastoral Centro são quatro centros, Armação de Pera, Albufeira, Loulé e Quarteira, e no Sotavento são mais três centros evangelizadores, em Faro, Olhão e Tavira.

Cada uma das regiões vai ter um coordenador pastoral, designado como Vigário Episcopal Regional, nomeado pelo bispo diocesano, para permitir “não só um trabalho pastoral conjunto, como a coordenação e partilha de recursos evangelizadores” nos diferentes Centros Evangelizadores.

Os Centros Evangelizadores vão ser compostos por “comunidades paroquiais mais próximas” e entre as quais exista uma “ligação sociológica, com a finalidade de potenciar um caminho pastoral sinodal entre elas”.

“Um dos pontos fundamentais na proposta destes centros é que, das paróquias mais numerosas e pastoralmente mais dinâmicas, possam surgir cristãos que sejam pontos de apoio, animadores, ou até mesmo responsáveis das comunidades cristãs mais pequenas, com a finalidade de nelas gerar, igualmente e se possível, animadores e responsáveis da própria comunidade”, explica o documento.

Os Centros Evangelizadores também vão ter um responsável, um coordenador pastoral, que coordenará a organização das estruturas e da “pastoral da evangelização local, fomentando a comunhão pastoral entre os presbíteros e entre as comunidades”, e que também é nomeado pelo bispo diocesano.

Segundo a Diocese do Algarve, são “necessários párocos (tendo em conta a idade e a personalidade de cada um) disponíveis para um trabalho de conjunto, de cariz missionário”.

A Diocese do Algarve, no contexto da ‘nova organização da pastoral paroquial’, que vai começar a ser implementada no próximo ano 2022-2023, assinala que “já neste milénio, foram várias as reflexões, propostas e tentativas de reestruturação e/ou reorganização da vida pastoral”, mas “nunca chegaram a uma concretização efetiva”.

“É inadiável uma mudança com a grande finalidade missionária e evangelizadora. Mudança que passa por duas coisas simultaneamente necessárias: Conversão pessoal (abertura sincera de cada um à novidade do Espírito) e conversão pastoral (mudança nas ações e estruturas pastorais da nossa diocese)”, acrescenta no novo documento.

Foto: Folha do Domingo

O jornal ‘Folha do Domingo’, da Diocese do Algarve, informa também que o bispo D. Manuel Quintas publicou as nomeações para o próximo ano pastoral nos serviços da diocese, nomeadamente os três responsáveis das regiões pastorais e para alguns centros evangelizadores, e para movimentos eclesiais.

O cónego Mário de Sousa é o vigário episcopal regional do barlavento, o padre Pedro Manuel é da região do centro e para a região do sotavento foi nomeado o padre António Luís Farias Antunes.

D. Manuel Quintas nomeou também como chanceler o cónego Rui José Barros Guerreiro e como notário da Cúria o cónego Joaquim José Duarte Nunes.

Os padres António Elísio Barreto de Freitas e Tiago Alexandre Ferreira Veríssimo foram ainda nomeados como assistentes do Comité Organizador Diocesano do Algarve da Jornada Mundial da Juventude 2023.

CB/OC

Partilhar:
Share