Sacerdote afirma que jovens estavam «sedentos de se encontrarem uns aos outros»

Foto: COD Angra

Angra do Heroísmo, Açores, 22 nov 2021 (Ecclesia) – Os jovens católicos da ilha Terceira, na Diocese de Angra, assinalaram o Dia Mundial da Juventude, celebrado entre sábado e domingo, com várias iniciativas de oração e festa.

“Estes dias são muito importantes pois os jovens entusiasmam-se, entusiasmam-nos e entusiasmam outros jovens”, afirmou o padre Hélder Miranda Alexandre ao portal ‘Igreja Açores’.

Segundo o reitor do Seminário de Angra e responsável pela Pastoral Vocacional na diocese, os jovens “estavam sedentos de se encontrarem” e explicou que para além dos grupos de jovens já constituídos, “a participação das catequeses do projeto ‘Say Yes’ foi uma grande mais-valia”.

“Embora o número ainda não seja muito grande, estes jovens são a chave para outros jovens, vão chamar os outros. Vemos que por detrás deles estão os líderes, mas já se sente que há sementes que podem germinar”, desenvolveu.

Na Ilha Terceira, a Jornada Diocesana da Juventude reuniu os jovens em momentos de celebração, oração, compromisso social e convívio: no sábado, uma vigília de oração, na igreja de São Mateus da Calheta; e este domingo, na Fonte do Bastardo.

“Deu-nos uma grande alegria e entusiasmo; A igreja da Fonte Bastardo estremecia com as músicas, as nossas assembleias com tantos jovens é outra intensidade, vitalidade e alegria”, realçou o padre Hélder Miranda Alexandre.

“Enganei-me e ainda bem, pois estava receoso. As duas igrejas estavam bastante cheias”, acrescentou.

O padre Hélder Miranda Alexandre destaca que a Igreja “precisa desta juventude” e a presença do Papa em Lisboa, para a edição internacional da Jornada Mundial da Juventude, que se vai realizar de 1 a 6 de agosto de 2023, “é uma oportunidade única para a Igreja que tem de ser agarrada”.

O sítio online diocesano ‘Igreja Açores’ informa que em todas as ilhas do arquipélago foram desenvolvidas atividades e transversalmente foi celebrada uma Eucaristia animada pelos jovens, de acordo com cada realidade.

“Apesar da dispersão geográfica este dia vai ser para celebrar com muita alegria e entusiasmo e vezes nove, em cada uma das ilhas, não sendo possível ter uma celebração diocesana, de Santa Maria ao Corvo, vão celebrar cada uma do seu jeito”, já tinha explicado o padre Norberto Brum, responsável pela Pastoral Juvenil da Diocese de Angra, em declarações à Agência ECCLESIA.

A Igreja Católica promoveu este domingo, nas dioceses de todo o mundo, a sua festa anual com os jovens católicos, pela primeira vez na solenidade litúrgica de Cristo-Rei, por decisão do Papa Francisco.

CB/OC

Partilhar:
Share