D. João Lavrador apresenta mensagem de esperança da ressurreição de Jesus face à falta de sentido na sociedade

Angra do Heroísmo, Açores, 01 abr 2018 (Ecclesia) – O bispo de Angra disse hoje que a fé na ressurreição em Jesus deve levar os católicos a procurar resposta para as situações de injustiça e marginalização, dando sentido a uma sociedade marcada pelo “pessimismo”.

“Com a Ressurreição de Jesus Cristo abre-se a esperança para o mundo e a Igreja é portadora desta mesma notícia. Fá-lo através da proclamação da Palavra, pelo convite à experiência na comunidade cristã e nos gestos libertadores perante as situações de marginalização, de exploração e de injustiça, de exclusão e de pobreza, isto é, os sinais de morte e de sofrimento que persistem na sociedade”, disse D. João Lavrador, na Missa deste Domingo de Páscoa, a que presidiu na Sé de Angra, Açores.

Numa intervenção enviada à Agência ECCLESIA, o responsável alertou para um mundo “mergulhado na tristeza, no desespero, na incompreensão”, apontando o dedo ao materialismo que “gera a frustração e a desilusão e que clama pela libertação”.

O bispo de Angra convidou os católicos a contrariar esta cultura, “dominada pelo paganismo, pelo relativismo, pelo individualismo, ofuscada na sua limitada compreensão e sem projetos de futuro e de sentido, mergulhada na morte”.

“Urge proclamar e experienciar os dinamismos da Ressurreição como resposta ao ser da pessoa e aos anseios mais profundos do homem”, acrescentou.

A intervenção concluiu-se com uma oração a Nossa Senhora, “Mãe e Rainha dos Açores”, para pedir uma bênção para “famílias, crianças, jovens, adultos e idosos, os excluídos, desempregados, os pobres, os encarcerados e emigrados, todos os que sofrem da injustiça e da violência”.

OC

Homilia do bispo de Angra na celebração do Domingo da Ressurreição

Partilhar:
Share