Diretor do Centro de Estudos de História Religiosa da UCP aborda caráter cada vez mais internacional do Santuário

Fátima, 11 mai 2018 (Ecclesia) – O professor Paulo Fontes, diretor do Centro de Estudos de História Religiosa, da Universidade Católica Portuguesa, disse que o caráter cada mais global de Fátima coloca questões ao tipo de experiências religiosas ali oferecidas.

Em entrevista à Agência ECCLESIA, no contexto da peregrinação aniversária internacional que vai decorrer entre 12 e 13 de maio, o investigador considera que “esta é uma boa ocasião para uma reflexão mais aturada do uso, da forma de estar, de rezar e de celebrar um santuário”.

Recorde-se que a peregrinação aniversária deste ano vai ser presidida pelo arcebispo emérito de Hong Kong, na China.

Enquadrado naquilo que já foi definido pelo reitor do Santuário de Fátima como uma viragem a Oriente, em outubro será a vez do bispo de Hiroshima (Japão) estar na Cova da Iria.

Só no ano passado, de acordo com dados do gabinete de comunicação do Santuário de Fátima, vieram àquele recinto de oração cerca de 35 mil peregrinos asiáticos.

Paulo Fontes realça que hoje “Fátima não é unívoca, é plural, porque representa para cada um que vem coisas muito diferentes”.

“Hoje o que falta muitas vezes é uma capacidade de aprofundar, de levar mais longe, porque a sociedade está aberta a que esse lugar, esse papel da religião, e concretamente do cristianismo possa ser trabalhado a nível das sociedades”, aponta o professor auxiliar da Faculdade de Teologia da UCP.

Em 2017, ano de Centenário das Aparições e da vinda do Papa Francisco, o Santuário mariano recebeu perto de 10 milhões de peregrinos, com destaque para a subida do número de visitantes asiáticos, em particular da China, com cerca de 100 grupos diferentes, mas também da Coreia do Sul, do Vietname e das Filipinas.

No entanto, o maior contingente de peregrinos continua a chegar da Europa e do continente americano, de países como Espanha, Itália, Polónia, EUA, Brasil e Argentina.

Esse mesmo ano foi também de ligação aos países da antiga União Soviética, muito presente na mensagem de Fátima.

Durante a peregrinação internacional aniversária de julho, vieram ao Santuário cerca de 70 peregrinos provenientes das ex. repúblicas soviéticas, com as celebrações a serem presididas pelo arcebispo de Moscovo, D. Paolo Pezzi.

JCP

Partilhar:
Share