“Um caminho longo a percorrer que é para todos, que ninguém desanime na caminhada, que ninguém seja excluído”, D. António Luciano.

Foto DR

Viseu, 19 Out 2021 (Ecclesia) – O Bispo de Viseu disse, este domingo, na homilia da celebração de abertura do processo sinodal, que este momento é “um ‘aggiornamento’, uma lufada de ar puro, santo e fresco”.

“O início do Sínodo dos Bispos em cada diocese é uma graça, um ‘aggiornamento’, uma lufada de ar puro, santo e fresco, que quer tocar e transformar o nosso coração, a nossa vida e todo o nosso agir pastoral”, realçou D. António Luciano na celebração a que presidiu na Igreja do Seminário de Viseu.

Na tarde de 17 de outubro em que também foi apresentado o Programa Pastoral 2021-2022, centrado na Eucaristia e com o lema “Família, alimenta-te na Eucaristia”, na homilia da celebração a que presidiu, de “envio” da comissão diocesana, o Bispo de Viseu realçou que a diocese tem “um caminho longo a percorrer que é para todos, que ninguém desanime na caminhada, que ninguém seja excluído”.

A Diocese de Viseu necessita “de todos em espírito de verdadeira cooperação e a esta experiência” pode-se chamar “de corresponsabilidade eclesial e pastoral, caminho sinodal”.

Este é o “caminho novo para a conversão e renovação da própria Igreja e para a verdadeira salvação do seu Povo”, antes de confiar também aos padroeiros da Diocese de Viseu, São Teotónio e Beata Rita Amada de Jesus, este caminho sinodal.

LFS

 

Partilhar:
Share