Diocese vai apoiar diocese angolana, convento de clausura e reforçar fundo de emergência

Viseu, 27 fev 2020 (Ecclesia) – O bispo de Viseu sublinha na sua mensagem para a Quaresma de 2020 a necessidade de partilhar os bens “com os mais necessitados”, como sinal na preparação para a Páscoa.

“A Quaresma tempo privilegiado para escutar a Palavra de Deus, tempo de conversão, de oração mais intensa, de jejum mais fecundo e de esmola mais generosa”, refere D. António Luciano.

O responsável anuncia que a tradicional “renúncia quaresmal” tem, este ano, três destinos: a Diocese de Benguela, em Angola, “na gratidão por alguns padres dessa diocese estarem em cooperação missionária ao serviço da Diocese de Viseu; as Irmãs Franciscanas Concepcionistas da Imaculada Conceição (Convento de Clausura de Santa Beatriz da Silva em Viseu), que estão a celebrar os 50 anos de fundação neste território; e o Fundo de Emergência criado pela diocese em 2019.

A mensagem, com o título “Quaresma, caminho batismal rumo à Páscoa”, destaca a centralidade da “conversão” neste tempo litúrgico.

“Colocarmos como cristãos o Mistério Pascal no centro da vida cristã significa renovar e revitalizar toda a nossa espiritualidade e a nossa pastoral em espírito de compaixão, serviço e proximidade junto de todos, em especial junto dos doentes e dos pecadores”, apela o bispo de Viseu.

“Quem acredita em Jesus e na Boa Nova que anuncia rejeita a mentira, a violência, o ódio e toda a espécie de pecado”, acrescenta.

O texto deixa várias propostas para revitalizar a espiritualidade da Quaresma, com as suas tradições cristãs, como a Via-Sacra, retiros, a Confissão, conferências, procissões ou as próprias celebrações da Semana Santa.

O bispo de Viseu vai orientar a 28 de março, pelas 14h30, uma Recoleção Espiritual (uma tarde de reflexão e oração) aberta a leigos, sacerdotes, consagrados, membros de movimentos, obras e a jovens; a iniciativa decorre no Centro Pastoral de Viseu.

OC

Partilhar:
Share