«Queremos que as pessoas sejam o agente principal», afirmou Pedro Borges, do Departamento da Juventude

Foto: Departamento da Juventude, Universidade e Vocações

Vila Real, 04 set 2022 (Ecclesia) – O Departamento Diocesano da Juventude, Universidade e Vocações (JuV) de Vila Real recebe hoje os símbolos da Jornada Mundial da Juventude (JMJ), o início das atividades escolares e pastorais são “oportunidades únicas de envolver os jovens”, até ao final de setembro.

“Queremos que as pessoas sejam o agente principal e, assim, que os símbolos estejam no meio da multidão, sempre que possível”, disse Pedro Borges, do Departamento da Juventude, em declarações à Agência ECCLESIA.

O entrevistado assinala que a peregrinação dos símbolos da Jornada Mundial da Juventude (JMJ) é essencial na divulgação do evento que se vai realizar em Lisboa, de 1 a 6 de agosto de 2023.

“A possibilidade de contactar e ver os símbolos traz um sentido diferente aos jovens, permite tornar real a mística da jornada”, explicou Pedro Borges.

A Diocese de Vila Real vai receber a peregrinação dos dois símbolos da Jornada Mundial da Juventude (JMJ) – a Cruz e ícone de Nossa Senhora Salus Populi Romani, a partir deste domingo, dia 4, até 30 de setembro.

“O movimento criado pela presença dos símbolos chega, não só, aos jovens católicos, mas também à restante sociedade. ‘Ver para crer’ é um dos motes que rege a sociedade nestes dias, é, pois, essencial ter um símbolo para tornar mais palpável a ideia da jornada e tornar real este momento”, realçou Pedro Borges.

O jovem do Departamento da Pastoral da Juventude, Universidade e Vocações de Vila Real assinala que o mês de setembro é de “muito labor”, e muito movimentado, neste território, com a época de vindimas, o final das férias, mas também de recomeços, e o início das atividades escolares e pastorais são “oportunidades únicas” de envolver os jovens na peregrinação dos símbolos, para a edição portuguesa da JMJ.

Foto Agência

“Vai ser, sem dúvida, um desafio. A azáfama típica da época das vindimas pode revelar-se um entrave, visto que haverá menos disponibilidade por parte de alguns arciprestados, e algum cansaço acumulado. Não obstante, é uma oportunidade única de chegar a mais pessoas. A região está bem viva nesta época e a peregrinação dos símbolos vem dar ainda mais dinamismo”, desenvolveu Pedro Borges, da Paróquia de Constantim.

Segundo o programa enviado à Agência ECCLESIA, pelo Comité Organizador Diocesano (COD) de Vila Real para a Jornada Mundial da Juventude 2023, os dois símbolos vão ser entregues pelos jovens da Diocese de bragança-Miranda pelas 17h00 deste domingo, 4 de setembro, na Ponte de Rebordelo, em Valpaços.

A Cruz Peregrina e o Ícone de Nossa Senhora Salus Populi Romani vão ser acompanhados por motards e ciclistas até ao “Km 0 da Estrada Nacional Nº2”, em Chaves, depois são transportados por jovens flavienses, passam pela Ponte Romana, a Ponte de Trajano, e são recebidos pelo bispo diocesano D. António Augusto Azevedo, na Praça de Camões.

Os dois símbolos vão peregrinar pelos diversos arciprestados (conjunto de paróquias) da diocese, e visitar instituições sociais, educacionais, de saúde, os santuários marianos, segundo pedro Borges, vão percorrer “sítios únicos que a diocese tem para oferecer”, “desde a receção no KM 0 da mítica Nacional 2, à subida até ao monte da Senhora da Graça, passando pelas magníficas paisagens do Douro”.

A Diocese de Vila Real informa que vai entregar a cruz e o ícone mariano à Diocese do Porto, transportados num barco rabelo, desde cais da Régua, no dia 1 de outubro, às 09h00.

O COD de Vila Real é constituído por uma equipa de 30 pessoas, tem a coordenação do padre João Curralejo e integra os jovens que já colaboravam no Departamento Diocesano da Pastoral da Juventude, Universidade e Vocações com representantes dos oito arciprestados desta Igreja local.

CB

 

JMJ Lisboa: «Os jovens são os protagonistas de levar os símbolos às várias realidades» – Padre Filipe Diniz

Partilhar:
Share