Capítulo decorre em Roma e termina no dia 20 de junho

Lisboa, 12 mai 2017 (Ecclesia) – Os Missionários da Consolata reelegeram hoje o padre Stefano Camerlengo como superior geral do Instituto Missionário da Consolata para mais seis anos no capítulo que termina a 20 de junho, em Roma.

Os Missionários da Consolata em Portugal informam que o padre italiano Stefano Camerlengo foi hoje reeleito Superior Geral do instituto “por maioria absoluta no primeiro escrutínio”.

O religioso que celebrou o 61.º aniversário este domingo entre 2005 e 2011 foi vice superior geral e foi ordenado sacerdote em 1984 na República Democrática do Congo, onde trabalhou na missão, formação e direção.

Os 45 missionários – 21 africanos, 14 europeus e 8 latino americanos de 18 circunscrições – que participam no 13.º Capítulo Geral que está a decorrer desde 22 de maio e termina a 20 de junho vão agora eleger os conselheiros que vão compor a “nova direção geral”.

“O capítulo recorda-nos quem somos: consagrados para a missão ad gentes, sentinelas da aurora, pessoas incansáveis e cheias de esperança, testemunhas da ternura de Deus aos últimos, aos marginalizados, àqueles que não têm voz nem vez, os empobrecidos. Devemos ser sinais de libertação e salvação”, disso o superior geral do Instituto Missionário da Consolata.

Segundo o padre Stefano Camerlengo a realidade chama os religiosos a uma “revitalização da pessoa do missionário” e a uma “reestruturação” da organização de governo”.

“Precisamos de colocar-nos em estado de conversão”, observou.

Fundado em 1901 pelo beato José Allamano, o Instituto Missões Consolata (IMC), com 116 anos de história, “é hoje” uma congregação “pluricultural e internacional” com 982 missionários de 23 países a viver em 231 comunidades, em 28 países de quatro continentes – África, América, Ásia e Europa.

Para o sacerdote italiano a missão Ad Gentes, além-fronteiras, “corre o risco de ser absorvida e confundida” com as missões globais de todo o Povo de Deus, “perdendo assim a força profética”, por isso, considera que o XIII Capítulo Geral surge num momento da história do Instituto “crítico, num sentido positivo”.

Em entrevista, o padre Stefano Camerlengo explicou ainda que à nova Direção Geral do Instituto Missionário da Consolata vai ter a “responsabilidade” de fazer chegar as reflexões do capítulo a toda a congregação e “garantir a unidade na diversidade, de presidir a fraternidade no espírito de família, promovendo a criatividade e a qualidade dos missionários”.

CB

 

Partilhar:
Share