D. Anacleto Oliveira presidiu à celebração da bênção dos finalistas das Escolas do Instituto Politécnico de Viana do Castelo

Foto: Diocese de Viana do Castelo

Viana do Castelo, 20 mai 2019 (Ecclesia) – O bispo de Viana presidiu este domingo à celebração da bênção dos finalistas das várias Escolas do Instituto Politécnico e pediu que “não percam o encanto pelo futuro”.

“Nos momentos belos, não vos deixeis «adormecer» ou «aquietar». Nos momentos difíceis, assim como fez Jesus perante a negação de Judas, deixai-vos também vós inundar pelo amor que tudo vence, na certeza de que os momentos difíceis podem ser aproveitados para nos darmos mais aos outros”, apontou D. Anacleto Oliveira.

Na sua homilia, o responsável pediu aos finalistas para que “não percam o encanto”, ainda que tivesse reconhecido que a vida lhes trará momentos belos, mas também momentos mais difíceis.

Partindo da conhecida “Balada da Despedida” e, em concreto, do verso “Coimbra tem mais encanto na hora da despedida”, o bispo de Viana convidou todos os presentes a cantá-lo, substituindo “Coimbra” por “Viana”.

“Chegou a hora da despedida para os alunos finalistas, momento de sorrisos e de lágrimas, momento em que os sentimentos e emoções vêm ao de cima, momento com um encanto único”, disse.

D. Anacleto Oliveira explicou ainda que a “hora da despedida” tem um encanto muito especial para os finalistas, porque, no final do seu percurso académico, “partem enriquecidos com muitos conhecimentos académicos que, seguramente, não tinham quando chegaram, mas, acima de tudo, partem enriquecidos com a diversidade de relações humanas estabelecidas ao longo do tempo de estudo, muitas delas relações de autêntico amor – aquele amor exposto no Evangelho escutado na celebração”.

A celebração decorreu na escadaria em frente à igreja de Nossa Senhora da Agonia, na cidade de Viana do Castelo, onde estiveram presentes os finalistas dos diferentes cursos das várias Escolas do Instituto Politécnico local.

SN

 

Partilhar:
Share