Cardeal Ayuso Guixot dirigiu-se à Conferência Internacional sobre Liberdade Religiosa ou de Crença

Cidade do Vaticano, 06 jul 2022 (Ecclesia) – O prefeito do Dicastério para o Diálogo Inter-religioso (Santa Sé) assinalou a importância do encontro entre Estados e instituições para a paz, combatendo o extremismo e o fundamentalismo,

O cardeal Ayuso Guixot referiu à Conferência Internacional Ministerial sobre Liberdade Religiosa ou de Crença (FoRB), que decorreu em Londres, que não se pode proibir que as pessoas expressem sua fé, desde que respeite o bem comum, lembrando que o extremismo e o fundamentalismo encontram terreno fértil na instrumentalização da religião, mas também no vácuo dos ideais e na perda de identidade,

Numa mensagem em vídeo, divulgada hoje pelo portal ‘Vatican News’, o responsável da Santa Sé acrescentou que são fenómenos que afetam dramaticamente muitas sociedades, especialmente as “desenvolvidas”, indicando que este vácuo de significado gera facilmente medo, o que leva a ver o outro como uma ameaça e um inimigo.

O prefeito do Dicastério para o Diálogo Inter-religioso lembrou que o Papa indica a fraternidade humana como caminho a seguir, destacando a importância da declaração sobre a ‘Fraternidade Humana em prol da paz mundial e da convivência comum’, assinada por Francisco e pelo grande imã de Al-Azhar (fevereiro de 2019, nos Emirados Árabes Unidos) e da Encíclica ‘Fratelli tutti’ (3 de outubro 2020).

O subsecretário do Dicastério para o Diálogo Inter-religioso, padre Paulin Batairwa Kubuya, foi o representante da Santa Sé na FoRB, com a participação de vários líderes religiosos, patrocinada pelo governo britânico.

CB/OC

Partilhar:
Share