Cardeal Mario Zenari pede fim das sanções internacionais

Foto: Lusa/EPA

Cidade do Vaticano, 15 out 2020 (Ecclesia) – O representante diplomático do Papa na Síria, cardeal Mario Zenari, denunciou hoje no Vaticano a existência de uma crise “sem precedentes” no país do Médio Oriente, pedindo o fim das sanções internacionais.

Segundo o núncio apostólico, que se reuniu com membros do corpo diplomático acreditado junto da Santa Sé, a situação afeta 80% da população, após quase 10 anos de violência.

O encontro, na sala do Sínodo, contou com a presença do secretário de Estado do Vaticano, cardeal Pietro Parolin, acompanhado por D. Paul Richard Gallagher, secretário do Vaticano para as Relações com os Estados.

A Síria, disse o núncio apostólico, parece ter desaparecido do “radar dos media”, mas “catástrofe humana” persiste e a maior preocupação agora é a “bomba da pobreza”, que deixa cerca de 11 milhões de sírios com necessidade de assistência humanitária.

O cardeal Zenari falou no país como uma “extensão de vilas fantasmagóricas”, em que muitas pessoas “perderam a esperança”.

O representante diplomático do Papa em Damasco respondeu a várias perguntas dos presentes, destacando necessidade de recursos financeiros adicionais para o projeto “Hospitais abertos”, três hospitais católicos em Damasco e Alepo que são de acesso gratuito a pacientes de qualquer grupo étnico ou religioso.

O encontro foi encerrado com palavras de agradecimento do secretário de Estado do Vaticano, que reiterou a importância de “procurar novas soluções e não abandonar a Síria sob um manto de silêncio e indiferença”, informa a sala de imprensa da Santa Sé.

OC

Partilhar:
Share