Visita ao Chipre e Grécia quer promover diálogo ecuménico e atenção aos refugiados

Cidade do Vaticano, 01 dez 2021 (Ecclesia) – O Papa pediu hoje orações para a sua próxima viagem, ao Chipre e à Grécia, que se inicia esta quinta-feira, uma visita marcada pelo diálogo ecuménico e atenção aos refugiados.

“Terei também a oportunidade de me aproximar de uma humanidade ferida na carne de tantos migrantes em busca de esperança: irei a Lesbos”, disse Francisco, no final da audiência pública semanal, que decorreu esta manhã no Auditório Paulo VI.

O Papa deixou uma saudação aos “queridos povos” do Chipre e da Grécia – onde os católicos são, respetivamente, 4% e 1% da população -, “países ricos em história, espiritualidade e civilização”.

“Será uma viagem às fontes da fé apostólica e da fraternidade entre cristãos de várias confissões”, acrescentou.

A visita decorre 2 a 6 de dezembro.

Francisco enviou, como é tradição, uma mensagem em vídeo às populações dos dois países, sublinhando que a Europa “não pode ignorar o Mediterrâneo”.

“O ‘mare nostrum’, que liga tantas terras, convida a navegar juntos, não a dividir-nos, indo cada um sozinho, especialmente neste período em que a luta contra a pandemia ainda exige muito empenho e a crise climática pesa gravemente. O mar, que abraça muitos povos, com seus portos abertos, nos lembra que as fontes de convivência estão no acolhimento recíproco”, referiu.

O Papa evocou as pessoas que fogem das guerras e da pobreza, advertindo que hoje o Mediterrâneo é “um grande cemitério”.

No Chipre, a viagem papal tem por tema ‘Consolai-vos na Fé’, e a imagem gráfica é construída a partir do mapa do Chipre, com o Papa Francisco à esquerda, voltado para São Barnabé, patrono da Ilha, com um ramo de oliveira amarrado a uma espiga, à direita.

Na Grécia, o logotipo representa a Igreja como uma barca “que atravessa águas turbulentas do mundo, com a cruz de Cristo como mastro e o Espírito Santo a inflamar as velas, cuja forma estilizada evoca a figura do Papa”.

Francisco é o segundo Papa a visitar os dois países: o Papa emérito Bento XVI esteve no Chipre, em 2010; São João Paulo II visitou a Grécia em 2001.

O atual Papa já esteve no campo de refugiados de Lesbos, em 2016.

OC

Francisco fez até hoje 34 viagens internacionais, nas quais visitou 52 países, passando pelo Brasil, Jordânia, Israel, Palestina, Coreia do Sul, Turquia, Sri Lanka, Filipinas, Equador, Bolívia, Paraguai, Cuba, Estados Unidos da América, Quénia, Uganda, República Centro-Africana, México, Arménia, Polónia, Geórgia, Azerbaijão, Suécia, Egito, Portugal, Colômbia, Mianmar, Bangladesh, Chile, Perú, Bélgica, Irlanda, Lituânia, Estónia, Letónia, Panamá, Emirados Árabes Unidos, Marrocos, Bulgária, Macedónia do Norte, Roménia, Moçambique, Madagáscar, Maurícia, Tailândia, Japão, Iraque, Hungria e Eslováquia; as cidades de Estrasburgo (França), onde esteve no Parlamento Europeu e o Conselho da Europa; Tirana (Albânia), Sarajevo (Bósnia-Herzegovina) e Lesbos (Grécia).

Vaticano: Migrações, refugiados e diálogo ecuménico na agenda do Papa para a viagem ao Chipre e à Grécia

Partilhar:
Share