Mãe das meninas escreveu uma carta a agradecer a Francisco

Cidade do Vaticano, 11 ago 2020 (Ecclesia) – O Papa batizou as gémeas siamesas, Maria e Francisca, que tinham sido separadas no Hospital Bambin Gesù (Menino Jesus) de Roma e a mãe escreve a agradecer.

Batizar minhas miraculadas Maria e Francisca por Vossa Santidade me dá a confirmação de que Deus está verdadeiramente perto dos últimos”, escreve Hermine Nzotto, mãe das meninas, na carta divulgada pela Santa Sé.

Francisco batizou as meninas na Capela de Santa Marta numa “cerimónia reservada” e a mãe quis agradecer.

As gémeas siameses provenientes da República Centro-Africana, que estavam unidas pela cabeça, “foram submetidas há dois meses a uma extraordinária operação de separação craniana e cerebral” no Hospital Bambin Gesù (Menino Jesus) de Roma.

“Se amanhã minhas filhas poderão estar entre as crianças mais sortudas do mundo, ou seja, ir à escola e aprender o que eu ignoro e que agora também eu aspiro saber, para ser capaz um amanhã de ler os versículos da Bíblia para minhas filhas, então não foi uma porta santa que o senhor abriu em Bangui em 2015 e que foi fechada um ano depois, mas construiu uma ponte para a eternidade onde os necessitados, como eu fui, podem atravessar, e as pessoas de boa vontade como a equipe de médicos que cuidam de minhas inseparáveis separadas”, acrescenta a mãe.

Hermine Nzotto agradece ainda repetidamente aos médicos do Bambin Gesù, cuja equipa “milagrosamente separou e ressuscitou” seus bebés, prometendo orações.

SN

Partilhar:
Share