Albino Luciani ficou conhecido como o «Papa do sorriso» e morreu 33 dias após a sua eleição

Cidade do Vaticano, 13 out 2021 (Ecclesia) – O Papa abriu caminho à beatificação Papa João Paulo I (1912-1978), reconhecendo um milagre atribuído à sua intercessão, informou hoje o Vaticano.

Francisco aprovou a publicação do decreto com este reconhecimento, um passo decisivo para que Albino Luciani seja declarado beato.

O postulador da causa de canonização, cardeal Beniamino Stella, explicou ao portal ‘Vatican News’ que a cura reconhecida como milagre aconteceu na Argentina, em Buenos Aires, há cerca de dez anos.

“A menina, agora com quase vinte anos, foi curada em circunstâncias extraordinárias de problemas neurológicos muito graves”, indica.

Em abril de 2020, Francisco anunciou a criação de uma fundação dedicada a João Paulo I, para destacar a “atualidade” do magistério de Albino Luciani, sucessor de São Paulo VI.

João Paulo I foi Papa entre 26 de agosto e 28 de setembro de 1978.

O decreto que reconheceu as “virtudes heroicas” do futuro beato foi aprovado em novembro de 2017.

Albino Luciani nasceu em Canale d’Agordo, Diocese de Belluno, no Véneto, a 17 de outubro de 1912; era patriarca de Veneza quando foi eleito Papa a 26 de agosto de 1978, assumindo o nome de João Paulo I; recusou a coroação formal e não quis ser carregado na cadeira gestatória, ficando conhecido como o “Papa do Sorriso”.

O processo de beatificação de João Paulo I chegou ao Vaticano a 3 de janeiro de 2007, altura em que, na Congregação para a Causa dos Santos, foi aberto o envelope oficial com os documentos relativos à investigação diocesana sobre a heroicidade da vida e das virtudes, assim como sobre a fama de santidade.

OC

Partilhar:
Share