Papa convocou consistório este sábado 

DR

Cidade do Vaticano, 21 mai 2022 (Ecclesia) – O Papa convocou um consistório para a canonização do beato fundador dos Missionários de São Carlos, com a dispensa do segundo milagre.

“A escolha surge da audiência concedida hoje pelo Papa ao cardeal Semeraro, prefeito das Causas dos Santos, com a aprovação dos votos favoráveis ​​da sessão ordinária dos cardeais e bispos membros do Dicastério”, informa a Santa Sé.

João Baptista Scalabrini (1839-1905), bispo de Piacenza que no final do século XIX “fundou as Congregações dos Missionários de São Carlos” com a missão específica de servir os migrantes vai ser canonizado.

“Não se trata de uma canonização equipolente, pois haverá uma cerimônia formal, mas com a dispensa da prática de reconhecer o segundo milagre, como foi o caso do Papa João XXIII”, informa.

A data da canonização será anunciada por ocasião do consistório, que também dirá respeito a outra canonização, a do Beato Artemide Zatti (Decreto de 9 de abril de 2022), leigo italiano que emigrou com a família para a Argentina no final do séc. 1800, salesiano e missionário irmão na Patagônia.

Nos decretos publicados hoje surge também o reconhecimento de um milagre atribuído à intercessão de uma leiga espanhola, Maria de la Concepción Barrecheguren y García, e das virtudes heroicas de sete servos de Deus, que assim se tornam veneráveis.

Congregação dos Missionários de São Carlos, fundada em Itália, em 1887 pelo espírito missionário de João Baptista Scalabrini, bispo e apóstolo dos migrantes, “abriu-se do mundo à emigração portuguesa desde os anos 70, de forma espontânea e gradual”, atualmente conta com seis sacerdotes em Portugal e celebraram 50 anos da sua presença no nosso país.

Os novos Veneráveis são sete: cinco homens e duas mulheres, entre eles uma leiga polonesa, Joana Woynarowska (1923-1979), enfermeira que se distinguiu por suas qualidades no cuidado de vários tipos de enfermidade – ela mesma sofria de uma grave deficiência física – e sustentada por uma fé sólida que a levou a se consagrar em um instituto secular indicado pelo então Arcebispo Karol Wojtyla.

Os outros Veneráveis são o Arcebispo filipino Teófilo Bastida Camomot (1914-1988), fundador da Congregação das Filhas de Santa Teresa, o Bispo italiano Luigi Sodo (1811-1895), o sacerdote espanhol José Torres Padilla (1811-1878), co-fundador da Congregação das Irmãs da Companhia da Cruz, o sacerdote italiano Giampietro di Sesto San Giovanni (nascido Clemente Recalcati), professo dos Frades Menores Capuchinhos (1868-1913), fundador da Congregação das Irmãs Missionárias Capuchinhas de São Francisco de Assis de Brasília, o padre italiano Alfredo Morganti (conhecido como Berta), professo da Ordem dos Frades Menores (1886-1969), a religiosa mexicana Marianna da Santíssima Trindade (nascida Marianna Allsopp González-Manrique, 1854-1933), co-fundadora da Congregação das Irmãs da Santíssima Trindade.

SN

Notícia atualizada às 14:00

Partilhar:
Share