«Há carestia, hoje, há fome», denuncia o Papa

Cidade do Vaticano, 13 jun 2021 (Ecclesia) – O Papa alertou hoje para a “grave crise” no Estado etíope do Tigray, onde há milhares de crianças em risco de morrer à fome.

“Há carestia, hoje, há fome”, denunciou Francisco, após a recitação do ângelus, desde a janela do apartamento pontifício.

Perante centenas de pessoas reunidas na Praça de São Pedro, o Papa realçou que a região do Tigray é “atingida por uma grave crise humana, que expõe os mais pobres à carestia”.

O Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef) alertou esta sexta-feira que cerca de 30 mil crianças subnutridas correm o risco de morrer à fome, na Etiópia.

“Rezemos juntos para que cesse imediatamente a violência, que sejam garantidas a todos a assistência alimentar e sanitária e se retome, o mais rapidamente possível, a harmonia social”, apelou Francisco.

A este propósito, o Papa agradeceu a todos os que trabalham para “aliviar os sofrimentos” da população.

O portal de notícias do Vaticano, que cita missionários católicos no terreno, diz que o cenário no Tigray é marcado por “escolas destruídas ou ocupadas por pessoas deslocadas e famílias desaparecidas”

Um conflito entre o exército e as forças locais rebentou sete meses e mais de 90% da população do Tigray precisa de assistência alimentar neste momento, segundo o Programa Alimentar Mundial da ONU.

O primeiro-ministro etíope, Abiy Ahmed, lançou uma ofensiva militar contra as forças leais ao  ex-partido do governo local, Frente de Libertação do Povo Tigray (TPLF), após meses de tensões com o governo central da Etiópia.

OC

Partilhar:
Share