«Especialmente neste período de emergência sanitária, este site quer ser um lugar importante de acolhimento, colaboração e abertura» – Monsenhor Cesare Pasini

Cidade do Vaticano, 23 jul 2020 (Ecclesia) – A Biblioteca do Papa tem um novo sítio online que “oferece novos serviços” e é “muito dinâmico”, uma atualização que é um “lugar importante” no contexto da pandemia e do distanciamento social.

“Especialmente neste período de emergência sanitária que estamos a viver, com a mobilidade limitada é mais difícil para muitos virem diretamente à biblioteca. Este site aberto e comunicativo, rico e atraente, quer ser um lugar importante de acolhimento, colaboração e abertura”, disse o prefeito da Biblioteca do Vaticano.

Ao sítio online ‘Vatican News’, monsenhor Cesare Pasini explicou que a Biblioteca do Vaticano com o sítio online quer dar-se a conhecer pelo é, pelo que tem e “oferecer um serviço que alcance as fronteiras do mundo”.

“Queremos estar verdadeiramente ao serviço dos nossos visitantes com um instrumento moderno e atualizado que proporcione imediatamente a resposta a uma pesquisa ou leve a maior interesse pela Biblioteca”, assinalou.

O responsável recorda que o Papa Francisco “fala frequentemente” que a Igreja tem de “chegar às periferias” e “não existe nada como um site online que potencialmente permita chegar a todas as fronteiras e a todos os países do mundo, próximos e distantes”.

“Naturalmente, não negligenciamos o serviço presencial dos que nos visitam e tentamos servi-los bem”, observou o bibliotecário do Papa, explicando esse nome “porque a biblioteca é sua e foi aberta por sua vontade há muitos séculos”.

Na homepage, o utilizador encontra em primeiro plano os catálogos e a biblioteca digital que “devem ser as primeiras coisas belas que veem”, para despertar curiosidade “sobre o tema e fazer pesquisas”.

Monsenhor Cesare Pasini explicou que na área “reservada” é dedicada às comunicações relacionadas com “solicitações específicas” e basta registar-se, sendo a “novidade uma busca melhor entre os títulos” do catálogo editorial, para os livros que publicam como biblioteca – “publicações científicas, mas também de interesse imediato, como pode ser a agenda todos os anos – e “podem ser feitos pedidos de foto-reprodução tanto para estudo quanto para uso profissional”.

Por exemplo, em ‘notícias e eventos’ são apresentados “todos os compromissos” – “um evento futuro ou que já aconteceu ou notícias de uma realidade importante ou alguma novidade da Biblioteca – e as novas publicações quando “é lançada ou colocada à venda”, e partilham também as newsletters, “que são publicadas regularmente desde 25 de junho de 2008” e os tweet da conta twitter@bibliovaticana.

Ao sítio online ‘Vatican News’, o prefeito da Biblioteca do Vaticano assinalou que a parte gráfica “evolui rapidamente neste tipo de comunicação digital” e “já há algum tempo” queriam atualizar o sítio online da Biblioteca do Papa “com algo mais ágil e mais intuitivo”.

A Biblioteca Apostólica do Vaticano e o Arquivo reabriram no dia 1 de junho, após o “sofrimento” provocado pelo encerramento por causa da pandemia Covid-19 e na certeza de que “toda crise pode ser uma oportunidade”, explicou na altura o cardeal português José Tolentino Mendonça, arquivista e bibliotecário da Santa Sé.

CB

Partilhar:
Share