Vaticanista acompanhou viagem do Papa emérito a Portugal, em maio de 2010

Foto: Ricardo Perna

Lisboa, 31 dez 2022 (Ecclesia) – O vaticanista Ricardo Perna disse que o Papa emérito Bento XVI, falecido hoje aos 95 anos de idade, virá a ser declarado no futuro como “doutor da Igreja.

“Estou convicto de que Bento XVI virá a ser, um dia, declarado Doutor da Igreja, distinção atribuída àqueles que se distinguem na Igreja pela profundidade do seu pensamento teológico”, explica à Agência ECCLESIA o jornalista, acreditado pela Sala de Imprensa da Santa Sé.

Ricardo Perna considera que a relação de Bento XVI com a cultura é também expressão de uma Igreja que ele entende “se deve dar ao mundo e com ele cultivar uma relação de proximidade”.

Um ‘doutor’ é alguém reconhecido pela Igreja Católica como exemplo de “santidade de vida, ortodoxia doutrinal e ciência sagrada”.

O título foi atribuído,até hoje, a 38 homens e mulheres da Igreja, incluindo Santo António de Lisboa, pelo Papa Pio XII, em 1946.

O jornalista assinala a “capacidade de ler o que a Igreja precisa”, dimensão que se manifestou de forma especial no momento em que Bento XVI apresentou a sua resignação: “Foi uma lição de humildade e de discernimento que vai ficar como marca daqui para a frente na Igreja”.

Ricardo Perna lembra a “postura calma, silenciosa e orante sem se imiscuir na vida da Igreja”.

“Não era o Papa dos afetos como se diz, mas era um Papa muito próximo das pessoas”, destaca o jornalista que acompanhou a visita de Bento XVI a Portugal, em maio de 2010.

A viagem de Joseph Ratzinger a Portugal e o encontro que manteve com o mundo da cultura no Centro Cultural de Belém, onde pediu aos artistas para “fazerem das vidas lugares de beleza” são um exemplo, no pontificado, da proximidade de Bento XVI aos círculos da cultura e do pensamento.

Ao suceder a São João Paulo II, um Papa que cruzou os continentes e visitou dezenas de países, Bento XVI é “o Papa certo, no momento certo”, considera Ricardo Perna assumindo que este é um lugar-comum que se costuma aplicar a cada pontífice; Ainda assim, “esta capacidade de parar, pensar, refletir, aprofundar era o que a Igreja estava a precisar naquele momento” salienta.

Agora que o lugar de Papa emérito está “vacante” Ricardo Perna considera que ainda não é o momento para o atual pontífice se sentir tentado a resignar.

“Se a saúde lhe permitir penso que não considera abdicar antes de concluir o Sínodo dos Bispos”, indica.

Ricardo Perna considera este Sínodo “a última marca do pontificado do Papa Francisco”, uma missão que Francisco tem desenvolvido para adequar a estrutura da Igreja aos desafios do tempo atual.

O Papa emérito Bento XVI faleceu hoje aos 95 anos de idade, anunciou o Vaticano; Bento XVI, eleito em abril de 2005 para suceder a João Paulo II, tinha renunciado ao pontificado em fevereiro de 2013, mantendo uma vida reservada no Mosteiro ‘Mater Eclesiae’, do Vaticano.

As cerimónias fúnebres estão marcadas para quinta-feira, dia 5 de janeiro, na Praça de São Pedro, às 9h30.

HM/LS

Partilhar:
Share