Padre Manuel Fernando destaca ação de Marcelo Rebelo de Sousa em motivar portugueses para visitar o país

Foto: Lusa

Porto, 23 set 2020 (Ecclesia) – O presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, recebeu esta quarta-feira o título de visitante cinco milhões do complexo dos Clérigos, no Porto.

“Na qualidade de visitante número cinco milhões, aqui quero representar e agradecer as gerações e gerações que na Irmandade, e com o apoio de sucessivos bispos do Porto, construíram um património que honra Portugal”, declarou o chefe de Estado, durante a cerimónia.

A Irmandade dos Clérigos celebrou assim a chegada aos cinco milhões de visitantes ao complexo, convidando simbolicamente o presidente da República.

“Ele próprio teve quase este desígnio de, com a sua ação, ser uma espécie de mobilizador para que os portugueses visitem o património e façam turismo cá dentro”, disse o presidente da Irmandade dos Clérigos à Agência ECCLESIA.

O padre Manuel Fernando explicou que os turistas portugueses que visitavam a Torre dos Clérigos antes do confinamento, em março, “seriam 15%” do total e neste momento é superior a 30%.

“[Marcelo Rebelo de Sousa] é realmente o presidente de todos os portugueses e ninguém melhor para incorporar esta imagem dos portugueses que por todos os sítios, e para nós em particular, tiveram esta presença efetiva, uma notável presença”, acrescentou.

Foto: Lusa

A cerimónia começou com a receção do presidente da Republica, visitante 5 milhões, o descerramento de uma placa de homenagem e uma visita guiada aos Clérigos, concluindo-se na igreja com intervenções do presidente da Irmandade dos Clérigos; do bispo do Porto, D. Manuel Linda; do presidente da Câmara Municipal do Porto, Rui Moreira; e de Marcelo Rebelo de Sousa.

O número de visitantes à Torre dos Clérigos começou a ser contabilizado a 12 dezembro de 2014, após um ano de obras de restauro e remodelações.

Para nós é o sinal evidente que é um espaço com notabilidade e que é uma referência na cidade do Porto e qualquer turista que passe pelo Porto não poderá deixar de apreciar. Naturalmente que esta ordem de grandeza salta à vista e, evidentemente, não podemos deixar de fazer esta referência porque são números que têm um impacto muito grande. Cinco milhões é a fasquia mais ou menos mítica de metade da população do nosso país”.

Sobre estes meses de retoma das atividades, o sacerdote revela que no início “as expetativas não eram muito grandes”, e estavam “muito preocupados”, mas agora estão “surpreendidos com os números, o mês de agosto e o mês de setembro situaram-se acima das melhores expetativas”, onde puderam receber mais de 400 visitantes por dia, “sempre dentro das regras de segurança, de higiene”, e até dinamizaram a iniciativa ‘Clérigos by Night’.

“Um espaço que para além de estar aberto ao turismo encontramos aqui um sentido de serviço público que é importante nesta altura”, observa o padre Manuel Fernando.

CB/OC

O presidente da Irmandade dos Clérigos destaca que o complexo tem elementos “completamente distintos”, mas com uma “dimensão também pastoral e de congregar” as pessoas em vários momentos”.

“A Torre pela paisagem, pela harmonia, esta dimensão artística e ecológica, faz-nos ver o Porto na sua dimensão mais alargada. O museu foi noutras alturas uma enfermaria, um hospital que tratava os doentes, e temos a igreja que também tem esta dimensão de cura e de convergência, de congregação e motivação e de esperança”.

O padre Manuel Fernando recorda que “uma boa parte” do dinheiro que angariam com as visitas dos turistas “é repartido por várias instituições que vão fazendo trabalho de assistência social, de cuidado aos mais fragilizados”.

Atualmente, e no sentido de “trabalho para a comunidade e mobilização positiva na referência dos que fazem um bom serviço”, até dezembro de 2021, “todos os profissionais de saúde – enfermeiros, médicos, Cruz Vermelha e bombeiros – que estão na linha da frente têm visita gratuita com mais um familiar” à Torre dos Clérigos.

Partilhar:
Share