Francisco enviou uma contribuição inicial de 100 mil euros para cada uma das realidades

Foto D.R

Lisboa, 18 jan 2022 (Ecclesia) – O Papa Francisco enviou uma ajuda de 200 mil euros para a Igreja nas Filipinas, de auxílio às consequências do tufão Rai, e para a Cáritas Polaca, para apoiar os migrantes na fronteira entre a Polónia e a Bielorrússia.

Num comunicado divulgado hoje, pela Sala de Imprensa da Santa Sé, o Dicastério para a Promoção do Desenvolvimento Humano Integral informa que os 100 mil euros para a Igreja nas Filipinas vão ajudar as “dioceses mais afetadas” pelo tufão “em obras assistenciais”.

Este contributo, enviado com colaboração com a Nunciatura Apostólica nas Filipinas, faz parte da ajuda que está a ser dinamizada na Igreja Católica e que envolve, “para além de várias Conferências Episcopais, numerosas organizações caritativas”.

O Dicastério para a Promoção do Desenvolvimento Humano Integral recorda que os efeitos da passagem do tufão Rai afetaram cerca de oito milhões de pessoas em 11 regiões, e causou inúmeros “danos materiais”, segundo fontes das Nações Unidas.

O Papa evocou as vítimas da passagem do tufão Rai, no dia 19 de dezembro de 2021, após a recitação do ângelus, no Vaticano.

“Que o Santo Niño traga consolação e esperança às famílias em maiores dificuldades e nos inspire a todos nós para ajudar concretamente. A primeira ajuda concreta é a oração. E outras ajudas”, disse Francisco.

O comunicado do Dicastério para a Promoção do Desenvolvimento Humano Integral informa que o Papa também vai ajudar os migrantes que estão na fronteira entre a Polónia e a Bielorrússia.

Francisco vai enviar 100 mil euros para a Cáritas Polaca, um apoio a uma “situação de conflito que se prolonga há mais de 10 anos”.

O Papa condenou as mortes de migrantes às portas da Europa, evocando as crises no Canal da Mancha, Bielorrússia e Mediterrâneo para pedir o fim de qualquer “instrumentalização” desta situação, a 28 de novembro, de 2021, no Vaticano.

CB

 

Partilhar:
Share