Testemunhamos, esta noite, o cuidado e proximidade que a diocese de Bragança-Miranda quer manifestar com as pessoas reclusas, através da denominada pastoral penitenciária. São dois os estabelecimentos prisionais que a diocese assume e quer acompanhar de forma próxima: em Bragança e em Izeda encontram-se tantas vezes pessoas vindas de fora e de longe, mas que não deixam de fazer parte da comunidade. O jornalista Paulo Rocha foi a Trás os Montes conhecer o trabalho que Rui Magalhães, enquanto coordenador do serviço diocesano da pastoral penitenciária procura desenvolver.

Partilhar:
Share