«Nenhum de nós pode ser cristão só por si, mas sim com os outros e para os outros» – D. Manuel Clemente

Foto: Arlindo Homem

Lisboa, 15 out 2021 (Ecclesia) – O cardeal-patriarca de Lisboa desafiou as comunidades católicas a participar na fase diocesana do processo sinodal convocado pelo Papa, sublinhando que se é cristão “com os outros e para os outros”.

“Vamos fazê-lo com todo o empenho, retomando o que fizemos há anos na preparação do nosso Sínodo diocesano, com muitos grupos para tal constituídos nas várias comunidades, além de outras participações que enriqueceram o conjunto”, escreve D. Manuel Clemente, numa carta intitulada ‘Rumo ao Sínodo dos Bispos de 2023’.

O responsável lembra que o Papa Francisco escolheu como tema da 16.ª Assembleia Geral do Sínodo dos Bispos “a própria sinodalidade da Igreja”.

“O modo conjunto como havemos de viver, conviver e aprofundar a nossa própria realidade batismal, que a todos insere no Corpo de Cristo, Templo do Espírito e Povo de Deus. Nenhum de nós pode ser cristão só por si, mas sim com os outros e para os outros”, desenvolve.

D. Manuel Clemente recorda que a Diocese de Lisboa também promoveu um sínodo (2014-2016) e a principal opção prioritária das conclusões foi a “promoção de dinâmicas sinodais”.

“Por convite do Papa Francisco, temos agora uma oportunidade especial de o fazer, uma vez que o próximo Sínodo dos Bispos pressupõe uma fase diocesana, em que cada Igreja Local responderá a um questionário enviado de Roma”, acrescenta.

O cardeal-patriarca adianta que a coordenação diocesana vai ser assumida pelo cónego Rui Pedro Carvalho e diversos membros do laicado, vida consagrada, diaconado e sacerdócio: Adriana Moleiro, padre António Matos, Catarina e Nuno Luís Fortes, Eduardo Valente, Fátima Salgueiro, o diácono José Noronha de Andrade e padre Ricardo Figueiredo.

Para além da equipa diocesana de coordenação, que vai acompanhar a fase do Sínodo dos Bispos em Lisboa, cada paróquia e comunidade escolherá o seu coordenador local.

Depois da abertura do processo sinodal 2021-2023 pelo Papa Francisco no Vaticano, a 9 e 10 de outubro, a fase diocesana começa este domingo; D. Manuel Clemente indica que no Patriarcado, a celebração foi adiada para 25 de outubro, de forma a coincidir com a solenidade da Dedicação da Sé.

A celebração de abertura da fase diocesana do Sínodo, em Lisboa, começa às 17h30, e termina com a Eucaristia, a partir das 19h00; o cardeal-patriarca pede a “todos os coordenadores locais” que procurem estar presentes.

O percurso para a celebração do Sínodo está dividido em três fases, entre outubro de 2021 e outubro de 2023, passando por uma fase diocesana e outra continental, que dará vida a dois instrumentos de trabalho distintos, antes da fase definitiva, ao nível mundial.

CB/OC

 

Partilhar:
Share