D. Manuel Quintas questiona habituação ao sofrimento na sociedade

Foto: Folha do Domingo

Faro, 15 abr 2019 (Ecclesia) – O bispo do Algarve questionou este domingo, durante a Missa de Ramos, a habituação ao sofrimento na sociedade, pedindo aos católicos que tenham atenção a quem está “próximo da cruz”.

“Não podemos deixar de sentir como nosso o grito de quem está tão próximo da cruz de Jesus”, afirmou D. Manuel Quintas, numa intervenção enviada hoje à Agência ECCLESIA pelo jornal diocesano ‘Folha do Domingo’.

A celebração que marca o arranque da Semana Santa teve início junto à igreja da Misericórdia de Faro, com a bênção dos ramos, à qual se seguiu a procissão até à Sé, onde se celebrou a Eucaristia.

A homilia do bispo do Algarve centrou-se no diálogo de Jesus com os “malfeitores”, narrado pelo evangelista São Lucas, desafiando os participantes a “olhar para o mundo de hoje” com as suas “tragédias, mas também com as suas alegrias”.

“Habituamo-nos a ver e a seguir, quase em direto nos meios de comunicação social, cenas provocadas pelo terrorismo, guerra, situações que provocam toda a espécie de dor, sofrimento, desespero, barcos à deriva carregados de refugiados que ninguém quer”, lamentou D. Manuel Quintas.

Foto: Folha do Domingo

“Parece que corremos o risco de nos tornar insensíveis em relação ao mal do mundo de hoje, a situações dramáticas que tanta gente atravessa, tragédias individuais ou coletivas, mesmo se divulgadas até à exaustão, se tornam estranhas e facilmente esquecidas como se nada tivesse a ver connosco”.

A Diocese do Algarve, através do seu Setor da Pastoral do Turismo, disponibiliza online os horários das celebrações na totalidade das paróquias locais.

OC

Partilhar:
Share