Nancy Martins explicou que projeto começa com 30 pessoas

Foto: Presidência da República

Santarém, 11 jul 2022 (Ecclesia) – A diretora técnica do Centro Social Paroquial Santa Margarida de Abrã, na Diocese de Santarém, disse que a instituição está a desenvolver uma ‘lavandaria social’ para integrar pessoas no “mercado de trabalho” e quebrar ciclos de pobreza na região.

“O nosso objetivo é conseguir integrar 15 pessoas no mercado de trabalho no próximo ano”, referiu Nancy Martins, em declarações à Agência ECCLESIA.

A responsável afirma que querem oferecer “competências de trabalho” a estas pessoas, para aproveitar a ligação que têm às fábricas da região e “fazer um match entre a pessoa que está na lavandaria social e a necessidade da empresa”, integrando-as “no mercado de trabalho”.

Nancy Martins contextualiza que têm duas lojas sociais e no ano passado, em 2021, apoiaram “mensalmente entre 100 a 150 pessoas”, com alimentos, vestuário e mobiliário, onde existem famílias de crianças que andam nas creches da instituição.

Provavelmente daqui a alguns anos, os filhos deles estarão nas nossas creches e eles a serem apoiados a nível alimentar. Percebemos que estes apoios que muitas das nossas instituições no país dão, e muito bem porque são apoios de emergência, são extremamente válidos, não resolvem o problema da pobreza e dos ciclos de pobreza”.

A responsável, que também é assistente social no Centro Social Paroquial de Abrã, assinala que foi “a pensar nestes ciclos de pobreza e em quebrar estes ciclos” que pensaram no Projeto ‘Integrar+’ que se vai concretizar numa lavandaria social, interligada com uma mercearia.

“Não havendo ali na região uma lavandaria, muitas das pessoas precisam de lavar um edredão, por exemplo, têm de deslocar-se às terras ao lado ou aos concelhos vizinhos. Pensamos, a instituição, criar esse serviço aberto ao público, ou seja, um negócio social por detrás deste apoio”, acrescenta.

Segundo Nancy Martins, vão envolver 30 pessoas neste programa, começando por oferecer “uma capacitação mais teórica, como construir um currículo, como se vestir para uma entrevista de emprego”, competências pessoais e sociais.

Depois, serão “capacitadas em contexto de trabalho na lavandaria social”, acrescenta a responsável, adiantando que a “expectativa é começar a trabalhar em setembro”, no início do novo ano letivo, e, até ao final do ano, estar “tudo em funcionamento” e ter a lavandaria aberta ao público.

A diretora técnica do Centro Social Paroquial Santa Margarida de Abrã explica também que o tempo que cada uma dessas pessoas der à loja social “será reconvertido em créditos para uma mercearia social”, em vales que vão poder descontar numa rede de entidades parcerias.

O projeto “Integrar+”, onde se insere a lavandaria social, venceu a 10.ª edição do Prémio MSD | Maria José Nogueira Pinto em Responsabilidade Social, que tem um valor pecuniário de 10 mil euros; o galardão foi atribuído numa cerimónia pública, com o presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, a 6 de junho, em Belém.

“Ficámos muito surpresos e agradecidos. É um motivo enorme de orgulho e reconhecimento do trabalho que também temos feito com a população mais carenciada. Desde que divulgamos o prémio temos recebido, mesmo da comunidade em geral e das empresas, feedbacks muito positivos”, disse Nancy Martins.

CB/OC

 

Partilhar:
Share