D. José Traquina diz que os católicos têm de interessar-se «pelo mundo, pelas pessoas e pela sociedade»

Santarém, 04 abr 2021 (Ecclesia) – O bispo de Santarém disse hoje que os católicos devem “traduzir a Páscoa na vida concreta”, assumindo o compromisso de construir uma sociedade diferente.

“Temos na Igreja, uma riqueza enorme de Doutrina Social que nos ajuda a refletir e a ter princípios  para bem nos interessarmos pelo mundo, pelas pessoas e pela sociedade em que vivemos”, referiu D. José Traquina, na homilia do Domingo de Páscoa que proferiu na catedral diocesana.

O responsável católico sublinhou que a celebração da ressurreição de Jesus, o momento mais importante do calendário litúrgico, abre o Tempo Pascal (50 dias até à solenidade de Pentecostes).

“Até aqui, o desafio foi a caminhada quaresmal para preparar a Páscoa. Agora, o desafio é o Tempo pascal como tempo oportuno e privilegiado para testemunhar a vida nova que Jesus promoveu com a sua Ressurreição”, precisou.

A homilia refletiu sobre as  dificuldades em entender a ressurreição, que é para os cristãos “não apenas um voltar a viver como antes, mas passar a ter a vida de Deus”.

“Os cristãos vivem no mundo, como todas as outras pessoas, mas pertencem ao céu e, por isso são exortados a ter critérios de vida, próprios de acordo com a Fé que professam”, observou D. José Traquina.

O bispo de Santarém advertiu que este “pertencer ao céu” não significa desinteresse pela humanidade.

CB/OC

Partilhar:
Share