Mudanças decorrem a partir da nova constituição apostólica «Praedicate Evangelium» que reformou a Cúria e entrou em vigor no dia 5 de junho

Foto: Agência ECCLESIA/OC

Cidade do Vaticano, 01 out 2022 (Ecclesia) – O Vaticano anunciou hoje que o serviço de Pastoral do Turismo, até agora sob a competência do Dicastério para o Serviço de Desenvolvimento Humano Integral, passa a estar integrado no Dicastério para a Evangelização.

A mudança foi tornada pública pela Sala de Imprensa da Santa Sé que deu conta que a mudança foi estabelecida por um rescrito do Papa Francisco, numa audiência concedida no passado dia 7 de setembro ao cardeal Michael Czerny, prefeito do Dicastério para o Desenvolvimento Humano.

“O Papa decidiu transferir a competência da pastoral dos fiéis que empreendem viagens por motivos de piedade ou estudo ou lazer do mesmo Dicastério para a Seção para as questões fundamentais da evangelização no mundo do Dicastério para a Evangelização”, pode ler-se.

À luz da nova constituição apostólica «Praedicate Evangelium» que reformou a Cúria e entrou em vigor no dia 5 de junho, o Papa “redistribuiu algumas competências” pastorais.

De acordo com a Constituição Apostólica «Pastor Bónus», de João Paulo II, de 28 de junho de 1988, tinha sido atribuído ao Conselho Pontifício para a Pastoral dos Migrantes e Itinerantes, a “competência tanto da pastoral dos exilados, migrantes, nómadas, pessoas do circo, marítimos e profissionais do transporte aéreo, quanto do cuidado espiritual de quem viaja”.

O Papa Francisco, em agosto de 2016, instituiu o Dicastério para o Serviço de Desenvolvimento Humano Integral, que fundia dentro dele quatro Conselhos Pontifícios: Justiça e Paz, Profissionais da Saúde, Cor Unum e, precisamente, Migrantes e Itinerantes, tendo as suas competências sido transferidas para o recém-criado Dicastério.

A 11 de fevereiro de 2017, com o motu proprio, «Sanctuarium in Ecclesia», Francisco transferiu algumas competências do Conselho Pontifício para os Migrantes e os Itinerantes para o Conselho Pontifício para a Promoção da Nova Evangelização, ou seja, as mencionadas no ponto 151 da Pastor Bonus, que afirma que o Dicastério “procurará assegurar que as viagens empreendidas por motivos de piedade ou de estudo ou de lazer promovam a formação moral e religiosa dos fiéis, e ajudará as Igrejas locais para que todos aqueles que estão longe de casa possam se beneficiar de um cuidado pastoral adequado”.

LS

Partilhar:
Share