Iniciativa da Conferência Nacional das Associações do Apostolado dos Leigos decorre este sábado, em Almada

Lisboa, 19 nov 2021 (Ecclesia) – A Conferência Nacional das Associações do Apostolado dos Leigos (CNAL) promove este sábado uma nova edição da ‘Praça Central’, encontro que se apresenta como “ampla conversa” sobre cristianismo, sociedade e cultura.

“Praça Central? Sim, o encontro aberto a todos para uma ampla conversa sobre cristianismo, sociedade e cultura, desta vez à volta do sugestivo título ‘A difícil arte da amizade social’. Um tema com os pés na terra”, escreve Pedro Gil, do Gabinete de Imprensa do Opus Dei, num texto publicado pelo Ponto SJ e a Agência ECCLESIA.

A ‘Praça Central’ vai decorrer em Almada, inspirado na Encíclica do Papa Francisco ‘Fratelli Tutti’ (2020), incluindo uma sessão plenária, durante a manhã, e o debate sobre quatro áreas temáticas abordadas em mesas-redondas, ao longo da tarde: Cidadania, Política, Cultura e Diálogo.

O encontro começa com uma intervenção, em vídeo, do cardeal Sean O’Malley, arcebispo de Boston (EUA); entre os conferencias estão figuras como Manuel Carvalho da Silva (ex-líder da CGTP), Rita Valadas (presidente da Cáritas), Isabel Jonet (presidente da Federação Portuguesa dos Bancos Alimentares Contra a Fome), Fernando Soares Loja (membro da Comissão da Liberdade Religiosa) ou Carlos Silva (líder da UGT).

A iniciativa tem um espaço de oração permanente e no final do dia celebra-se a Missa vespertina da solenidade de Cristo-Rei.

As inscrições podem ser feitas através do site oficial da CNAL.

A iniciativa convoca “mulheres e homens de Portugal para um dia de diálogo sobre política, cidadania e cultura, tendo por ponto de partida a matriz cristã e por inspiração as propostas do Papa Francisco para a sociedade atual”, realça uma nota enviada à Agência ECCLESIA

Pedro Gil destaca as reflexões sobre os temas da “fraternidade pacificada”, o perdão ou a amabilidade.

“Na Praça Central intervirá o cardeal Sean O’Malley o rosto da Igreja que mais e melhor enfrentou os casos de abusos e que acompanhou muitas vítimas nos difíceis processos de cura e reconciliação”, indica, a respeito do presidente da Comissão Pontifícia para a Proteção de Menores, criada pelo Papa Francisco.

‘A difícil arte da amizade social’ inspira o encontro em diferentes locais do Concelho de Almada, na Diocese de Setúbal, mobilizando quem procura uma “sociedade mais humana e justa”.

“Tantas vezes entendemos o diálogo como monólogos paralelos, sem procura de um conhecimento mútuo e o que propomos é uma escuta ativa. Os carismas existem mas todos eles nos encaminham para a missão comum. A dificuldade aparece pela nossa característica humana, por isso uma das nossas missões é a promoção de diálogo entre os vários movimentos para que o trabalho conjunto se reconheça e se perceba como contributo do reino de justiça, paz e amor a construir”, refere à Agência ECCLESIA João Cordovil Cardoso, presidente do Conselho Nacional da CNAL.

A praça Central acontece desde 2013 e a edição deste ano ganho “novo um pano de fundo implícito” com a convocação do Sínodo dos Bispos, com o qual o Papa pede à Igreja uma reflexão alargada sobre a comunhão, participação e missão.

“A sinodalidade que o Papa sublinha é uma das preocupações do encontro. O Papa referiu que o sínodo não é um parlamento nem uma sondagem de opinião, mas um momento eclesial, onde o protagonista deve ser o Espirito Santo. Sem Ele não há Sínodo”, indica Maria do Rosário Lupi Belo.

HM/LS/OC

Partilhar:
Share