«Sociedade que não protege, não cuida, não admira os mais velhos, está condenada ao fracasso», alertam bispos

Lisboa, 25 jul 2020 (Ecclesia) – A Igreja Católica vai promover celebrações e iniciativas culturais para assinalar o Dia dos Avós, na festa litúrgica de São Joaquim e de Santa Ana, os avós de Jesus, este domingo, destacando a importância de respeitar os mais velhos.

“Uma sociedade que não protege, não cuida, não admira os mais velhos, está condenada ao fracasso”, afirma a Comissão Episcopal do Laicado e da Família, da Conferência Episcopal Portuguesa, na mensagem para o Dia dos Avós 2020.

Os bispos católicos salientam que o Dia dos Avós “é uma oportunidade para dar graças, abraçar e celebrar a presença dos avós no passado e no presente, ir às próprias raízes e descobrir neles a ternura e o amor de Deus”.

A Comissão Episcopal do Laicado e Família (CELF) convida a sociedade a celebrar o “tesouro” que os avós representam, em particular perante a atual pandemia.

“Neste tempo que vivemos, precisamos de o dizer de forma clara, de o defender de forma assertiva. E os tesouros são protegidos, tocados com cuidado e admiração. Uma sociedade que não protege, não cuida, não admira os mais velhos, está condenada ao fracasso”, refere o organismo episcopal.

A CELF destaca a importância do “testemunho concreto e real de outros tempos, tantas vezes marcados por dificuldades, lutas e carências”.

“Talvez sintamos a vontade de correr para os braços de um avô velhinho, de uma avó sozinha. Ou de rezar por quem já partiu. Ou de contar a um filho, a uma neta, a história dos avós, dos bisavós, de todos os que nos deram a vida”, acrescenta a mensagem.

O dia dos avós é uma oportunidade para dar graças, abraçar e celebrar a presença dos avós no passado e no presente, ir às próprias raízes e descobrir neles a ternura e o amor de Deus”.

Na Diocese da Guarda, a festa litúrgica de São Joaquim e de Santa Ana, pais de Nossa Senhora e avós de Jesus, vai ser celebrada em Seia, numa iniciativa do Departamento Diocesano da Pastoral da Família, a partir das 10h30, na igreja de Nossa Senhora do Rosário.

Para além da Eucaristia, com a participação do Grupo Coral Nossa Senhora da Assunção de Seia, vai ser divulgada a mensagem de D. Manuel Felício para o Dia dos Avós, onde assinala que os avós “são chamados a desempenhar “no crescimento e na educação dos netos”.

“Educar bem uma criança, um adolescente ou um jovem não pode consistir apenas em lhes apresentar códigos de conduta, implica compreender e assimilar valores essenciais em ordem a uma vida equilibrada e com projeto”, observa.

O Santuário de Fátima convida todos os avós a “consagrarem-se a Nossa Senhora”, este domingo, no final da Missa das 11h00, no Recinto de Oração na Cova da Iria.

A Irmandade dos Clérigos, na Diocese do Porto, desafia avós e netos a descobrirem a sua torre e museu numa visita onde as duas gerações “podem experienciar e partilhar conhecimentos”, às 10h30 e às 17h00, deste domingo.

Em Santarém, o Museu Diocesano “associa-se às comemorações do Dia dos Avós – Dia de São Joaquim e Santa Ana”e aos 100 anos do nascimento de Amália Rodrigues com “um belo final de tarde com fados”

A iniciativa ‘Fado no Pátio’ conta com “os amigos fadistas: Natália Ferreira e José Neves, acompanhados na guitarra portuguesa e na viola, por Diogo Ferreira e Rui Girão, respetivamente”, entre as 16h30 e as 18h30, deste domingo, com lotação limitada, “para garantia da segurança entre todos os participantes” e os lugares podem ser reservados ( telefone 243304065 ou email geral@museudiocesanodesantarem.pt).

CB/OC

A Associação Famílias incentiva que se aproveite o ‘Dia Nacional dos Avós para “exigir um maior respeito, atenção e carinho”, assinalando que atual situação pandémica realçou aspetos que merecem “séria reflexão”, lembrando que este dia é comemorado em Portugal por decisão do Parlamento aprovada a 22 de maio de 2003.

Sociedade: «Avós transmitem coisas que os outros não podem transmitir» – Alice Vieira

Partilhar:
Share