«Já fomos extintos duas vezes, somos uma espécie que tem sobrevivido e esperamos sobreviver no futuro» – Padre Nélio Pita

Fotografia Congregação da Missão – Padres Vicentinos

Lisboa, 14 mai 2020 (Ecclesia) – O padre Nélio Pita, superior da Congregação da Missão (Padres Vicentinos) em Portugal, desde a Páscoa, dia 12 de abril, afirma que “fidelidade, renovação e compromisso” são “três objetivos fundamentais” do projeto provincial.

“Tenho pensado muitas vezes que o Senhor apenas pede-me para fazer o que é possível, a parte do impossível ele faz e faz muito bem, ele não falha”, refere o religioso, em entrevista emitida hoje no Programa ECCLESIA (RTP2).

O superior dos Padres Vicentinos em Portugal explica que esteve reunido com os nove conselheiros da província a trabalhar num novo projeto  que tem “três objetivos fundamentais: Fidelidade, renovação e compromisso”.

Sobre a fidelidade, o padre Nélio Pita assinala que precisam de “revisitar continuamente os textos fundadores” para que as respostas da congregação religiosa “hoje estejam moldadas por esta visão” e “missão” é uma palavra-chave da identidade destes sacerdotes.

“Não pretendemos ser uma boa ONG, queremos ser os Padres da Missão”, realçou, sublinhando que a missão atualmente assume diferentes formatos, “não apenas a tradicional missão popular mas tem formato, por exemplo, que na Igreja portuguesa tem muito êxito com os jovens”.

Em Portugal, a Congregação da Missão é “um grupo pequeno”, composta por 30 pessoas onde “a média de idades deve rondar os 70 anos”, mas a “renovação” pretendida “não é apenas” dos padres Vicentinos mas “também promover a renovação daqueles que são os membros da Família Vicentina”.

A Família Vicentina, contextualiza o padre Nélio Pita, para além dos sacerdotes é composta pelas Filhas da Caridade, e são “mais 100” religiosas, as Conferências de São Vicente de Paulo, “que são cerca de 10 mil pessoas”, e ainda a Juventude Mariana Vicentina, os jovens vicentinos, que são “cerca de cinco centenas”.

“Todos somos uma espécie de braços que estão mobilizados para a mesma causa, a assistência aos irmãos, a assistência espiritual e a assistência material, e não ficando ao nível do assistencialismo mas também na promoção do homem”, desenvolveu.

Já o “compromisso” da Congregação da Missão é com a “Igreja local” e com a “missão ad gentes” e nos próximos três anos pretendem “não apenas apoiar Moçambique mas também dar uma colaboração” aos sacerdotes da congregação em Angola, onde começam “a dar os primeiros passos”.

Fotografia Congregação da Missão – Padres Vicentinos

A Congregação da Missão nasceu no século XVII, por São Vicente de Paulo que procurou dar uma resposta muito concreta às necessidades dos homens e das mulheres do seu tempo.

“Percebeu que a grande maioria que vivia nas zonas rurais tinha não apenas fome, não apenas eram pessoas abandonadas, descuidadas, negligenciadas pelos poderes públicos, mas também tinham fome de Deus”, explicou o padre Nélio Pita.

Os Padres Vicentinos celebraram o jubileu dos 400 anos da sua fundação e 300 anos de presença em Portugal, onde têm oito comunidades, em 2017.

“Já fomos extintos duas vezes, somos uma espécie que tem sobrevivido e esperamos sobreviver no futuro”, lembrou o sacerdote.

O padre Nélio Pita lembra que recebeu um telefonema do superior-geral a pedir para assumir a responsabilidade da Província Portuguesa da Congregação da Missão (Padres Vicentinos) na quarta-feira da Semana Santa, aceitou no dia seguinte, e tomou posse no Domingo de Páscoa, dia 12 de abril, em Lisboa.

HM/CB/OC

Vida Consagrada: Padre Nélio Pita eleito provincial da Congregação da Missão em Portugal

Partilhar:
Share