Lisboa, 14 Mai 2020 (ECCLESIA) – A Coordenação Nacional da Pastoral Penitenciária de Portugal enviou aos assistentes espirituais nesta área um documento sobre o mês de maio que é dedicado a Maria, Mãe de Jesus.

Neste tempo “de especiais desafios”, a Coordenação Nacional da Pastoral Penitenciária tem tentado “manter o contacto possível com as pessoas em situação de privação de liberdade e com aqueles que com elas se preocupam”, refere uma nota enviada à Agência ECCLESIA.

O Papa Francisco, a propósito deste mês, escreveu uma carta destinada a todos os fiéis apelando à oração do Terço, e propondo também “duas orações para rezar no final do mesmo, como sinal de comunhão entre todos, através do amor e devoção a Maria”, lê-se.

Por sua vez, D. Joaquim Mendes, elemento da Comissão Episcopal da Pastoral Social e Mobilidade Humana (onde está articulada a Pastoral Penitenciária de Portugal), aproveitando a Carta do Papa Francisco, “em boa hora se lembrou de se associar a esta iniciativa propondo-a também a todos os irmãos e irmãs reclusas que se encontram” nos estabelecimentos prisionais.

Neste sentido, apela a que cada um, enquanto assistente espiritual e religioso, imprima o folheto e o faça chegar ao estabelecimento prisional, ou aos estabelecimentos prisionais a que está afeto, procurando que os mesmos “sejam disponibilizados aos irmãos ou irmãs reclusas que lhes estão confiados”, sublinha a nota.

LFS

Carta_Mes_Maio_2020

 

Partilhar:
Share