O grupo, esperado desde fevereiro, mostrou-se «sereno» e já pronuncia «algumas palavras em português»

Fundação José Allamano

Lisboa, 09 out 2020 (Ecclesia) – José Miranda, membro da Fundação José Allamano dos Missionários do Consolata, disse à Agência ECCLESIA que os nove refugiados que chegaram esta quinta-feira ao aeroporto de Lisboa vinham serenos e “já dizem algumas palavras em português”.

“Quiseram vir para Portugal, vieram com vontade, alguns deles já a dizer palavras em português, como ‘bom dia, boa tarde e obrigado’ e um deles, curiosamente, comentou que um dos objetivos é que queria vir jogar futebol para Portugal”, contou José Miranda.

Os nove refugiados chegaram ao aeroporto de Lisboa esta quinta-feira oriundos da Serra Leoa, Camarões, Togo, Senegal, Mali, Gâmbia e três da Nigéria, todos na casa dos 20 anos, exceto o “mais velho do grupo que conta com 41 anos”.

“O grupo já se conhece, falam Inglês, Francês e quase todos um pouco de Italiano, uma vez que estava em centros de acolhimento temporário no norte de Itália”, explica.

José Miranda disse ainda que todos fizeram o teste à Covid-19, na passada segunda-feira, “deram negativo e por isso puderam viajar”, mostrando-se “todos bem dispostos”.

“Temos esta confiança de que não temos indivíduos com vulnerabilidade latente, porque já passou algum tempo desde a experiência traumática do mar, vamos conhecendo cada um e o papel da nossa assistente social será esse de descobrir e trabalhar com cada um a auto estima e a capacidade de se superar”, destacou. 

O grupo, acompanhado pelo José Miranda e a assistente social, foi recebido no Antigo Seminário de Águas Santas, na Maia, onde os esperava “um jantar, um kit de higiene individual e uma noite de descanso”.  

“Nota-se que são pessoas fortes, gente com presença, e mostrando-se satisfeitos pelo acolhimento no nosso país”, acrescentou. 

Estes refugiados foram salvos numa das operações de resgate do Barco Humanitário Ocean Viking, realizadas em setembro e outubro de 2019, no Mar Mediterrâneo, e nos próximos 18 meses vão ter a fase de acolhimento e integração no Centro Missionário José Allamano, antigo Seminário de Águas Santas, na Maia, Diocese do Porto.

SN

Porto: Seminário da Consolata tem «tudo pronto» para receber refugiados (c/vídeo)

 

 

Partilhar:
Share