Responsáveis estão a «incentivar marcação online» das visitas

Porto, 15 jul 2020 (Ecclesia) – O presidente da Irmandade dos Clérigos afirmou que houve uma aposta “na qualidade, na segurança, na higiene”, no plano de reabertura ao público, com uma “lotação restringida até 400 pessoas” por dia.

“Este espaço, que é o ex-libris da cidade, é também um espaço com algumas especificidades, nomeadamente a visita à torre, que tem algumas circunstâncias que a tornam diferente de qualquer outro espaço museológico; Houve espaços que tiveram de ser estudados para podermos oferecer um circuito com segurança, onde se preservasse a identidade do espaço museológico e todo este espaço panorâmico”, referiu o padre Manuel Fernando Silva à Agência ECCLESIA.

Em junho de 2019, os Clérigos receberam a visita de 123 mil pessoas, mas atualmente, por causa da pandemia de Covid-19, a lotação foi limitada, por motivos de segurança.

As medidas incluem a medição da temperatura corporal dos visitantes, à entrada, ou a colocação de “sinalética no chão” para que as pessoas possam “visualmente controlar a distância”.

O presidente da Irmandade dos Clérigos observa que para a Torre não podem “ter um circuito alternativo”, mas a equipa foi preparada para “fazer o controlo das entradas, por piso, num máximo de 10 pessoas, evitando qualquer tipo de cruzamento”.

Agora com este fluxo devidamente controlado, a visita em termos económicos há um decréscimo, mas apostamos na qualidade, apostamos na segurança, apostamos na higiene, apostamos naquilo que são elementos que às vezes com grandes multidões passavam um pouco despercebido”.

O sacerdote da Diocese do Porto – que tomou posse como juiz presidente da Irmandade dos Clérigos no dia 9 de março – refere que também houve o reforço “na higiene, na limpeza”, e nas “equipas de limpeza” para poderem ter “a segurança que num espaço muito curto tudo é limpo de forma a minimizar qualquer tipo de situação que possa pôr em causa as pessoas”.

Foto: C. M. Porto

Nestes tempos de pandemia, a igreja dos Clérigos tem uma lotação para 34 pessoas, para os momentos de celebração, mas no “circuito normal só 10 pessoas”, como nos outros pisos.

O sacerdote lembra que transmitem diariamente um concerto de órgão, às 12h00, pela rede social Facebook, que “é um atrativo” e para além da música as pessoas podem ver “alguma panorâmica da igreja”.

O presidente da Irmandade dos Clérigos realçaque os circuitos são “condicionados por número”,  por isso estão “incentivar a marcação online” das visitas, para organizarem os percursos e “trabalhar muito melhor os fluxos de turistas”.

“Não poder corresponder é desagradável e a espera é desmobilizadora das pessoas”, admite.

A Torre dos Clérigos reabriu aos visitantes a 30 de maio, e nesse dia, o presidente da Irmandade disse à Agência ECCLESIA que oferece a entrada aos profissionais de saúde, bombeiros e Cruz Vermelha, até ao final de 2021.

HM/CB/OC

Porto: Clérigos reabrem com circuito preparado para acolher 400 pessoas por dia (c/vídeo)

 

Partilhar:
Share