Bispo diocesano deixou mensagens ao clero, na Missa Crismal

Porto, 18 abr 2019 (Ecclesia) – O bispo do Porto presidiu hoje à Missa Crismal, que reuniu o clero da diocese na Sé, rejeitando a ideia de que “os padres são todos uns malfeitores”.

Numa intervenção divulgada pelo jornal diocesano, ‘Voz Portucalense’, D. Manuel Linda aludiu a um conjunto de problemas que afetam a Igreja Católica, como a “diminuição de sacerdotes e de vocações sacerdotais” ou a “perda de uma certa respeitabilidade social dos sacerdotes”, criticando “campanhas” que visam denegrir a figura dos padres.

A celebração da manhã de Quinta-feira Santa, na Catedral do Porto, contou com a renovação das promessas sacerdotais, na presença dos bispos auxiliares do Porto, D. Pio Alves, D. António Augusto Azevedo e D. Armando Esteves; do bispo auxiliar emérito do Porto, D. António Taipa; do bispo emérito de Setúbal, D. Gilberto Canavarro; e de D. Carlos Azevedo, delegado do Conselho Pontifício para a Cultura (santa Sé.

Na sua homilia, D. Manuel Linda referiu-se à identidade dos sacerdotes e exortou-os a viverem o Espírito de Deus de uma “forma mais simpática e atraente”.

O responsável citou o cardeal Sean O´Malley, arcebispo de Boston, que orientou este ano o retiro de Quaresma do episcopado português e propõe no seu livro “Procura-se Amigos e Lavadores de Pés” que o “beijo, na Liturgia” permite descobrir “o coração do sacerdote”.

“Sim, o sacerdote sabe beijar”, assinalou o bispo do Porto, recordando que um padre beija o altar, o Evangelho, dá o beijo da paz aos fiéis e beija a cruz.

O responsável convidou os presentes a “gostar de estar com o povo e conhecer os seus nomes”.

OC

Partilhar:
Share