Na homilia da Vigília Pascal, o bispo aponta também “o papel das mulheres perante um acontecimento denso e não assimilável”

Foto João Lopes Cardoso/Diocese do Porto, Vigília Pascal

Porto, 03 abr 2021 (Ecclesia) – O Bispo do Porto disse, este sábado, na homilia da Vigília Pascal que a ressurreição é como “o encadeamento entre a semente e a árvore”.

“A ressurreição é como o encadeamento entre a semente e a árvore: são diferentes, mas em plena continuidade. O corpo da cruz é a semente; a luz da Páscoa é a árvore”, referiu D. Manuel Linda na celebração, na Sé do Porto.

Na homilia, intitulada «A Cruz e o desvelar do mistério», D. Manuel Linda sublinha que o Evangelho obriga “a descobrir um Deus totalmente outro, que não se deixa aprisionar nos nossos esquemas mentais e curiosidades mais ou menos infantis”.

O Evangelho conduz “à experiência do discipulado” e de “reencontrar este Deus misterioso na experiência da sua proximidade”.

Neste caminho em direção à Páscoa, as mulheres tiveram um papel central neste “acontecimento denso e não assimilável pela razão raciocinante”, frisou o Bispo do Porto.

“A Galileia não é apenas o espaço geográfico, mas é a história, a memória e o recriar do acontecido”, precisou D. Manuel Linda.

LFS

Partilhar:
Share