«Somos uma família. Chegou o tempo de o mostrarmos a todo o mundo», escreve D. Jorge Ortiga

Foto: Município de Braga

Braga, 09 abr 2020 (Ecclesia) – O arcebispo de Braga escreveu uma mensagem de Páscoa, recordando o atual período de isolamento social por causa da pandemia de Covid-19, na qual apela a uma “solidariedade responsável”.

“A solidão e o silêncio deste tempo devem conduzir-nos a uma solidariedade responsável. As teorias estão a perder a sua vitalidade. Precisamos de gestos e sinais. Coisas pequenas ou grandes. O mundo de amanhã será, inevitavelmente, mais solidário e interdependente. Somos uma família. Chegou o tempo de o mostrarmos a todo o mundo”, assinala D. Jorge Ortiga, num texto enviado hoje à Agência ECCLESIA.

“Somos efetivamente uma coisa só, a nossa vida tem de ser habitada pelos outros e, numa opção de fé cristã, devemos cuidar dos pobres, marginalizados, desempregados e solitários. Para todos deve haver lugar. Todos devem conviver connosco”, acrescenta.

O responsável católico fala num “tempo único”, pedindo que todos sigam com responsabilidade “as orientações de isolamento social”.

“Apesar de termos diante de nós mais tempos de solidão, esta deve ser uma solidão habitada. Não nos podemos fechar nos nossos problemas e inquietações. O vírus faz-nos sentir que na Humanidade todos dependemos uns dos outros”, refere o arcebispo primaz.

Que a solidão seja habitada pelo mundo inteiro e que o silêncio grite aleluias de confiança no presente e no futuro. Caminhemos numa solidariedade responsável perante os inúmeros problemas com que nos debruçamos. Jesus ressuscitou, Aleluia!”.

O arcebispo de Braga solicitou aos sacerdotes da diocese que contribuam para com o equivalente a um ordenado para o Fundo Social Diocesano, visando ajudar quem sofre as consequências económicas da pandemia.

Numa carta enviada aos membros do clero, D. Jorge Ortiga destaca a necessidade de dar “consistência” ao fundo solidário.

Entre as prioridades apontadas pelo arcebispo primaz estão o auxílio às “pessoas com fome, desempregados” e os “empregados e trabalhadores dos centros sociais que virão a ter dificuldades por causa da nova situação económica”.

OC

Páscoa 2020: Arcebispo de Braga pede multiplicação de gestos de «atenção» (c/vídeo)

Partilhar:
Share