Bispo de Beja referiu na homilia da celebração de Sexta-feira Santa para as pessoas “não se envergonharem das cruzes” e “não se envergonharem de serem cristãos”.

Beja, 10 Abr 2020 (ECCLESIA) – D. João Marcos, Bispo de Beja, disse na tarde desta Sexta-Feira Santa, na celebração da Paixão e a Morte do Senhor na Cruz que o crucifixo “deve ocupar, na sala e nos quartos, um lugar de honra” e que “os cristãos não se devem envergonhar de serem cristãos”.

Na homilia de Sexta-feira Santa o Bispo de Beja dirigindo-se aos cónegos, presbíteros, diáconos, religiosos/as e leigos/as que “permanecendo em vossas casas” porque existe o “medo do contágio do vírus Covid-19” e “em última análise, pelo medo de morrer”.

Para os cristãos, “como para todos os outros homens e mulheres”, a morte continua a ser “aquele buraco negro onde tudo desaparece”, mas os cristãos chamam-lhe “óbito, quer dizer, encontro com Cristo Ressuscitado, cuja glória resplandece aí, no centro desse vazio, para nos assumir (e, daí, a palavra Assunção) e nos levar com Ele para o Pai”, disse D. João Marcos.

Na Sé de Beja, o bispo sublinhou que “se quereis ser discípulos adultos de Cristo Jesus não fujais da vossa cruz mas abraçai-a e carregai com ela em cada dia!” e por estranho que pareça “ela é o jugo suave que o Senhor oferece aos Seus amigos e discípulos”.

LFS

Homilia em Sexta-feira Santa do Bispo de Beja

 

Partilhar:
Share