População enfrenta secas e enchentes, com consequências na alimentação, e pandemia do Covid-19

Foto: DR

Cidade do Vaticano, 14 ago 2020 (Ecclesia) – O Papa Francisco doou à Igreja na Zâmbia 100 mil euros com o objetivo de ajudar as pessoas “com deficiências nutricionais” e com falta de alimentos.

“Dos muitos pedidos que o Papa Francisco recebeu, ele optou por responder a uma solicitação de Zâmbia. Este dinheiro será distribuído através das dioceses para alcançar os mais necessitados, especialmente aqueles que sofreram com as recentes secas e enchentes”, afirmou o padre Cleophas Lungu, secretário-geral da Conferência dos Bispos Católicos de Zâmbia, noticia o Vatican News.

Em julho o Papa já tinha enviado para a Zâmbia, através da nunciatura, três ventiladores, milhares de máscaras e produtos de higiene, que puderam “salvar vidas”, destaca o responsável.

“A dor e o sofrimento do povo foram aliviados por este gesto de solidariedade”, sublinhou o padre Lungu.

Mais de 2,5 milhões de pessoas foram afetadas pelas secas e enchentes, tendo a Organização das Nações Unidas alertado, no início do ano, para uma “crise alimentar de proporções sem precedentes” em oito países da África central e austral, incluindo Zâmbia, onde 20% da população está em situação de grave insegurança alimentar, à qual se soma a pandemia do Covid-19.

LS

Partilhar:
Share