D. Antonino Dias envia condolências à família do bombeiro Diogo Dias, falecido em acidente

Foto: Lusa

Portalegre, 26 jul 2020 (Ecclesia) – O bispo de Portalegre-Castelo Branco lamentou hoje que o território diocesano esteja a ser “mais uma vez tragicamente atingido pelos incêndios”, enviando uma mensagem de condolências à família do bombeiro Diogo Dias, falecido num acidente.

“Estando a acompanhar, com tristeza, tais acontecimentos com a fúria do fogo, apelo à união de toda a Diocese para que, fazendo o que devemos fazer, não deixemos de rezar ao nosso Deus que, em Jesus Cristo, se revelou um Deus próximo de cada experiência humana, sobretudo a experiência da dor e do sofrimento”, escreveu D. Antonino Dias, numa mensagem à diocese, com o título ‘De novo a desgraça dos incêndios’.

O responsável católico fala num “flagelo constante, que mata, faz sofrer, angustia”.

“Quanta dor nas populações, quanto sofrimento, quanta aflição, quanto desânimo e quanta mais pobreza a curto e a longo prazo”, alerta.

A mensagem foi lida durante a celebração dominical da Eucaristia, na Paróquia de Oleiros.

Três aldeias do concelho de Oleiros estão em “risco efetivo” por causa do incêndio que lavra deste sábado e que já se estendeu aos concelhos de Proença-a-Nova e Sertã, anunciou hoje a Proteção Civil.

O bispo da Diocese de Portalegre-Castelo Branco apresenta as “mais sentidas condolências” à família do jovem Diogo Dias, bombeiro de 21 anos que foi vítima de um acidente no quadro de operações.

O prelado deixa votos de “rápidas melhoras” aos outros bombeiros que foram vítimas do mesmo acidente e manifesta a “proximidade e gratidão” das comunidades católicas às corporações que, “de forma tão abnegada, atuam no terreno”.

“Exprimimos a nossa comunhão junto dos senhores presidentes das Câmaras Municipais de Oleiros, Sertã e Proença-a-Nova; das Juntas de Freguesia; dos senhores padres das Paróquias atingidas; e, particular e afetuosamente, junto das queridas populações tão sofridas”, refere D. Antonino Dias.

A mensagem conclui-se com uma oração: “Que n’Ele todos possam encontrar a serenidade e a força para darmos as mãos e, na caridade cristã, nos valermos uns aos outros”.

Até ao momento, além dos danos materiais, estão registados uma vítima mortal e sete feridos, cinco ligeiros e dois graves.

O Governo declarou a situação de alerta em todo o território continental, entre as 00h00 de segunda-feira e as 23h59 de terça-feira, face às previsões meteorológicas que apontam para “significativo agravamento do risco de incêndio rural”.

OC

Partilhar:
Share