Francisco dedica última audiência semanal de 2019 à celebração do nascimento de Jesus

Cidade do Vaticano, 18 dez 2019 (Ecclesia) – O Papa Francisco pediu hoje no Vaticano que a celebração do Natal seja acompanhada pela construção do presépio, para recordar a centralidade da figura de Jesus.

“O presépio é mais atual do que nunca, num momento em que todos os dias se fabricam no mundo tantas armas e tantas imagens violentas, que entram nos olhos e nos corações. O presépio, pelo contrário, é uma imagem artesanal de paz, e por isso é um Evangelho vivo”, indicou, na última audiência pública semanal de 2019, no auditório Paulo VI.

Francisco recordou que no dia 1 de dezembro assinou a carta ‘Sinal Admirável’, sobre o significado do presépio, tendo para isso viajada até à localidade italiana de Greccio, onde São Francisco de Assis fez o primeiro presépio vivo, com as pessoas do local.

“É importante fazer um pequeno presépio sempre, porque nos recorda que Deus veio até nós, nasceu entre nós, acompanha-nos e fez-se homem como nós. Na vida de todos os dias, já não estamos sós. Ele habita no meio de nós. Não muda magicamente as coisas, mas, se o acolhermos, todas as coisas podem mudar”, afirmou o pontífice.

O Papa deixou votos de que a presença do presépio em cada casa “seja a ocasião para convidar Jesus na vida”.

A intervenção recordou a presença da Virgem Maria e São José, junto ao Menino Jesus, figuras que intercedem por todas as famílias, nas suas “alegrias e preocupações”.

Francisco falou, de improviso, da oferta de um pequeno presépio, chamado “Deixemos a mãe descansar”, que recebeu no dia do seu 83.º aniversário, no qual se vê Maria a dormir, enquanto São José adormece o menino: “A ternura de uma família, de um casamento”.

“Fazer o presépio é celebrar a proximidade de Deus: é redescobrir que Deus é real, concreto, vivo e palpitante. Não é um senhor distante ou um juiz desapegado, mas é Amor humilde, que desceu até nós”, acrescentou.

O Papa desafiou todos a “contemplar” o mistério do nascimento de Jesus, num mundo em pressa constante, para recordar a “importância de parar”.

“Se Jesus habita a vida, ela renasce. E se a vida renasce, é verdadeiramente Natal. Feliz Natal a todos”, desejou.

Na saudação aos peregrinos de língua portuguesa, Francisco agradeceu as orações dos fiéis, numa semana em que celebrou 50 anos de ordenação sacerdotal e 83 anos de vida.

“A todos desejo também um bom Ano Novo, repleto das bênçãos de Deus Menino”, concluiu.

OC

Especial: Papa apresenta «dicionário» sobre o presépio, sinal de um mundo «mais humano e fraterno»

 

Partilhar:
Share