Ao longo do mês de julho, apresentam-se tradições, festas e eventos culturais com a marca religiosa, a começar pela Diocese de Viana do Castelo

Lisboa, 06 jul 2020 (Ecclesia) – A Agência ECCLESIA iniciou hoje uma série de conversas onde se destacam tradições religiosas, festas e romarias nas 20 dioceses de Portugal, iniciando com Viana do Castelo e a análise do diretor do Semanário Notícias de Viana.

Para o padre Renato Oliveira “as manifestações de religiosidade popular são uma ferramenta e uma ocasião extraordinária” para a Diocese de Viana do Castelo.

“Como diocese nunca podemos desistir de nos reinventarmos, purificando naturalmente algumas manifestações de religiosidade popular, mas vermos sobretudo nelas uma belíssima oportunidade para oferecermos, como nos for permitido, o Evangelho às pessoas que se aproximam dessas romarias”, afirmou.

Entre as finalistas do concurso “7 Maravilhas da Cultura Popular” estão cinco festas religiosas do Alto Minho, a Romaria de Nossa Senhora da Agonia, a Romaria de São Bartolomeu, de São João d’Arga, de Santa Marta de Portuzelo, as Feiras Novas e as Concertinas e Cantares ao Desafio de Ponte de Lima e o Vira do Minho.

Na primeira edição da segunda série das “Conversas na Ecclesia”, o padre Renato Oliveira fala das sete finalistas, que se situam na região da Diocese de Viana do Castelo, sublinhando a presença de elementos religiosos de forma “mais ou menos explícita”, nomeadamente nas festas e romarias que caraterizam o Alto Minho.

Em declarações à Agência ECCLESIA, o diretor do Semanário Notícias de Viana disse que a presença em grande número de pessoas nas romarias do Alto Minho revela a “sede do sagrado, do transcendente e do religioso”.

No contexto da pandemia covid-19, os promotores das festas e romarias na Diocese de Viana do Castelo estão a cingir-se ao “essencial”, a celebração da Eucaristia, certos de que uma das “dimensões fundamentais” da religiosidade popular, que é “o encontro, o estar juntos”, não pode acontecer este ano.

“Grande parte das romarias estão a celebrar a Eucaristia campal e a aproveitar os recursos das novas tecnologias para fazer uma espécie de celebração digital, no que for possível”, adiantou o padre Renato Oliveira.

Esta terça-feira, a Agência ECCLESIA vai apresentar “o Sagrado e as Gentes” em Bragança-Miranda, percorrendo todas as dioceses até ao dia 31 de julho.

PR

Partilhar:
Share