D. Ivo Scapolo destacou simbolismo dos sinos

Foto: C.M. Mafra

Mafra, 03 fev 2020 (Ecclesia) – O núncio apostólico presidiu este domingo a uma Missa antes de bênção e reativação dos carrilhões da Basílica de Mafra, sublinhando o simbolismo dos sinos, na Igreja e na sociedade.

“A peculiaridade do som de cada sino faz do carrilhão uma imagem do que é o mistério da Igreja, que pode ser comparada a um imenso e maravilhoso carrilhão”, declarou D. Ivo Scapolo, numa homilia enviada hoje à Agência ECCLESIA.

Na festa litúrgica da Apresentação do Senhor, o representante diplomático do Papa falou num “um ato histórico”, constituído pela “bênção e reativação dos valiosos carrilhões” da Basílica Real de Mafra, na conclusão de um “importante trabalho” de restauro realizado com o empenho do Ministério da Cultura e da Câmara Municipal de Mafra.

“Os sinos que constituem os carrilhões desta Basílica são, como o mesmo nome ‘sino’ indica, um sinal que pode fazer referência a diferentes situações”, indicou D. Ivo Scapolo.

O núncio apostólico falou ainda da celebração do Dia Mundial da Vida Consagrada e as pessoas que, com o seu testemunho, “interpelam o mundo e colaboram na realização do plano de salvação”.

“Assim, com a sua vida, ajudam as pessoas a fortalecer a fé, a pensar em Deus, a reavivar a esperança, a partilhar as alegrias e as dores da gente”, acrescentou.

Antes da Missa, um grupo de pessoas assumiu o compromisso para começar a fazer parte da Real e Venerável Irmandade do Santíssimo Sacramento.

Já no fim da celebração, teve lugar a tradicional bênção das gargantas por interceção de São Brás, cuja festa se celebra hoje.

OC

Património: Concerto comemorou restauro dos carrilhões do Convento de Mafra (c/fotos)

Partilhar:
Share