Executivo de Miguel Albuquerque apresenta voto de pesar pela morte do arcebispo emérito de Évora

Agência Ecclesia/MC

Funchal, Madeira, 19 mar 2019 (Ecclesia) – O Governo Regional da Madeira reagiu hoje com o “mais profundo pesar” pela morte de D. Maurílio de Gouveia, arcebispo emérito de Évora, natural do Funchal.

“O Executivo madeirense e o seu presidente, Miguel Albuquerque, vêm endereçar à família enlutada os mais sinceros pêsames e associar-se à sua dor”, assinala o voto de pesar, enviado à Agência ECCLESIA.

O texto elogia o percurso de um “ilustre madeirense” e sublinha os “relevantes serviços prestados” em nome da Região e da Igreja Católica.

D. Maurílio Jorge Quintal de Gouveia nasceu a 5 de agosto de 1932, no Funchal, tendo ingressado no Seminário Diocesano do Funchal, onde viria a receber a ordenação sacerdotal a 4 de junho de 1955; em 1973 foi nomeado auxiliar do Patriarcado de Lisboa, pelo Papa Paulo VI, sendo ordenado bispo na Catedral do Funchal, a 13 de janeiro de 1974.

A 22 de março de 1978 foi nomeado arcebispo titular de Mitilene e vigário-geral do Patriarcado, cargo que desempenhou até 8 de setembro de 1981, quando foi nomeado por João Paulo II para a suceder a D. Frei David de Sousa, como arcebispo de Évora.

A tomada de posse na arquidiocese alentejana aconteceu a 8 de dezembro de 1981, tendo D. Maurílio de Gouveia desempenhado esta missão até 2007.

Em 2007, por ter atingidos os 75 anos, idade limite para o desempenho da missão episcopal, segundo a lei canónica, D apresentou ao então Papa Bento XVI a sua resignação ao cargo de arcebispo de Évora; em 2008, sucedeu-lhe D. José Alves.

Após a tomada de posse do seu sucessor, D. Maurílio de Gouveia passou a viver na Madeira, onde faleceu hoje, aos 86 anos de idade, no Eremitério de Maria Serena, em Gaula (Concelho de Santa Cruz), na sequência de doença prolongada.

OC

Igreja/Portugal: Faleceu D. Maurílio de Gouveia, arcebispo emérito de Évora

Partilhar:
Share