Falecido bispo de Viana do Castelo foi auxiliar do Patriarcado, durante cinco anos

Lisboa, 18 set 2020 (Ecclesia) – O cardeal-patriarca de Lisboa manifestou hoje a sua tristeza pela morte de D. Anacleto Oliveira, bispo de Viana do Castelo, que faleceu hoje num acidente de viação, elogiando o seu trabalho “incansável”.

“Foi uma tristíssima surpresa, esta do falecimento do senhor D. Anacleto Oliveira, caríssimo colega, querido amigo”, disse à Agência ECCLESIA D. Manuel Clemente.

O falecido bispo foi auxiliar do Patriarcado de Lisboa entre 2005 e 2010, altura em que coincidiu com o atual patriarca, então também auxiliar.

“Depois, eu parti para o Porto e ele partiu para Viana. Mais tarde, reencontramo-nos no Conselho Permanente da Conferência Episcopal”, recorda o cardeal.

O patriarca de Lisboa sublinha que teve várias ocasiões de colaborar com D. Anacleto Oliveira e “apreciar o seu trabalho, quer na diocese quer na Conferência, concretamente no âmbito da Liturgia, um trabalho sempre incansável, exigente, meticuloso, generoso”.

“Era um grande colega – continua a ser, agora no Céu – e eu só tenho de lamentar esta partida tão rápida, tão inesperada”, assinala, enviando uma mensagem de condolências à família do falecido bispo e à diocese do Alto Minho.

“Os meus sentimentos e a minha oração pelo senhor D. Anacleto, que agora no Céu continuará a trabalhar com todos nós”, conclui D. Manuel Clemente.

D. Anacleto Oliveira faleceu hoje aos 74 anos de idade, na sequência de um despiste de automóvel, na Autoestrada 2 (A2) perto de Almodôvar, que ocorreu ao fim da manhã; o bispo era o único ocupante da viatura.

Numa nota de imprensa enviada à Agência ECCLESIA, a Diocese de Viana do Castelo comunica o falecimento “de forma inesperada” do seu bispo, convidando a uma “oração reforçada” e à “serenidade”.

“As circunstâncias excecionais que nos envolvem aconselham-nos, por isso, a uma oração reforçada, assim como à serenidade e tranquilidade próprias de quem coloca o seu coração no Senhor”, refere o texto.

D. Anacleto Oliveira nasceu a 17 de julho de 1946, na freguesia de Cortes, em Leiria, e foi ordenado sacerdote a 15 de agosto de 1970; após a ordenação, estudou Sagrada Escritura em Roma e na Alemanha, onde foi capelão de uma comunidade portuguesa durante 10 anos.

Nomeado bispo para auxiliar de Lisboa em 2005, pelo Papa João Paulo II, a ordenação episcopal de D. Anacleto Oliveira decorreu no Santuário de Fátima no dia 24 de abril desse ano, presidida por D. Serafim Ferreira e Silva, então bispo da Diocese de Leiria-Fátima.

No dia 11 de junho de 2010 D. Anacleto Oliveira foi nomeado por Bento XVI como bispo de Viana do Castelo, o quarto bispo da diocese do Alto Minho, criada pelo Papa Paulo VI em 1977.

Na Conferência Episcopal Portuguesa, o bispo de Viana do Castelo presidia atualmente à Comissão Episcopal Liturgia e Espiritualidade e à Comissão de Tradução da Bíblia.

Em agosto, D. Anacleto Oliveira tinha assinalado 10 anos de bispo de Viana do Castelo e 50 de ordenação sacerdotal.

PR/OC

Partilhar:
Share