Membros do Comité Organizador Local apresentaram programa do evento mundial

Fátima, 22 set 2022 (Ecclesia) – O secretário-executivo do Comité Organizador Local (COL) da JMJ 2023 divulgou hoje algumas atividades deste evento mundial que decorre em Lisboa, de 01 a 06 de agosto, apontando o diálogo ecuménico e inter-religioso como “prioridade”.

“O diálogo ecuménico e inter-religioso é uma prioridade da JMJ e a equipa responsável tem dialogado com líderes religiosos”, disse Duarte Ricciardi, na jornada anual do Secretariado Nacional das Comunicações Sociais (SNCS), com o tema ‘Comunicar a JMJ Lisboa 2023’.

No painel sobre “JMJ Lisboa 2023: planear e implementar”, o conferencista referiu que o programa da JMJ 2023 “é ajustável”, mas realçou que haverá um festival da juventude onde “os peregrinos são os protagonistas do espetáculo” e onde se “realizam concertos, debates e conferências”.

Para o padre Filipe Diniz, diretor da peregrinação dos símbolos da JMJ, realçou naquele painel que os “dias nas dioceses” são uma “oportunidade para se mostrar a riqueza do país” e “tem havido a preocupação de acolher bem”.

Em relação à visita dos símbolos da JMJ (cruz e ícone), acrescentou, o “impacto tem sido fantástico”, tanto “no terreno como nas redes sociais”.

A organização da JMJ 2023 espera “cerca de 30 mil voluntários”, mas, atualmente, já estão a trabalhar neste evento mundial “alguns voluntários de longa-duração”, disse Margarida Manaia nas jornadas que contam com mais de 120 inscritos, profissionais e representantes de órgãos de comunicação social, dioceses, movimentos e instituições eclesiais.

Foto: Agência ECCLESIA/HM

A diretora de acolhimento e voluntariado disse aos presentes que a plataforma para a inscrição dos voluntários “abre até final de outubro” e que estes voluntários vão receber “atitudes de acolhimento”.

Para Mariana Craveiro, elemento da direção de comunicação da JMJ 2023, quem vive “uma jornada fica com uma experiência diferente” porque “é um encontro multicultural”.

A equipa de comunicação trabalha “em 20 idiomas” e “através das redes sociais percebe-se o ânimo e entusiasmo dos peregrinos”.

LFS/OC

Partilhar:
Share