Lamego, 07 set 2020 (Ecclesia) – O Museu Diocesano de Lamego tem patente ao público, até ao dia 15 deste mês, a exposição ‘Senhora dos Remédios, Arte e Devoção’, uma forma de compreender a história desta manifestação de fé e cultura.

A exposição mostra peças de arte “não muito conhecidas dos peregrinos” porque algumas delas “estão escondidas”, disse à Agência ECCLESIA, Carla Rosado, elemento do Secretariado dos Bens Culturais da Diocese de Lamego.

Esta exposição divulga “uma variedade de peças originais – esculturas, pinturas, paramentaria, cerâmica, ourivesaria, cartazes e fotografias – que trazem à cidade uma parte do património material do Santuário de Nossa Senhora dos Remédios e do património imaterial que se foi criando à volta da Romaria de Portugal”.

Uma das peças da exposição é a imagem de ‘Nossa Senhora dos Doentes’, que “andava na casa das pessoas que estavam doentes”, explica aquela responsável.

As vicissitudes dos tempos e os imprevistos apagaram algumas memórias deste santuário da cidade de Lamego.

“Há muita devoção, mas arte há pouca” porque no século XIX ocorreu incêndio na sacristia “e desapareceu muita arte”, salientou Carla Rosado.

“O incêndio foi de tal maneira brutal que a ourivesaria se fundiu”, acrescentou.

No itinerário artístico da exposição ‘Senhora dos Remédios, Arte e Devoção’ está também patente uma imagem que “acompanhava as pessoas que faziam peditórios para o santuário” ou cartazes que anunciavam a festa de Nossa Senhora dos Remédios – autênticas obras de arte que eram afixadas “nas estações de caminho de ferro de todo o Portugal”.

Uma forma de contar a história de Nossa Senhora dos Remédios “através da arte escondida”, finalizou.

LFS/OC

Lamego: Festas de Nossa Senhora dos Remédios decorre em moldes diferentes, por causa da pandemia (c/vídeo)

Partilhar:
Share